FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 28 Set 2015

Esposende: Muro costeiro da Foz do Cávado está a ser reforçado

Fruto do alerta e das diligências do Município junto das entidades competentes, está em curso mais uma importante obra no litoral de Esposende. Trata-se da […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Fruto do alerta e das diligências do Município junto das entidades competentes, está em curso mais uma importante obra no litoral de Esposende. Trata-se da reabilitação do muro de suporte da marginal de Esposende, o muro costeiro da Praça das Lampreias, na Foz do Rio Cávado, uma obra que está a ser executada pela Agência Portuguesa do Ambiente e que está orçada em aproximadamente 183 000 euros. Construído na década de 1950 com a dupla função de contenção de terras e de quebra-mar, o muro, com uma extensão de cerca de 150 metros, apresentava algumas anomalias, nomeadamente abatimentos da calçada do pavimento, que, aliados aos repasses de água através das juntas da alvenaria do muro, suscitaram dúvidas quanto à sua segurança. Apesar de o muro não apresentar deficiências estruturais e de estabilidade do ponto de vista global, torna-se necessário proceder ao refechamento das juntas de ambos os lados do muro, para evitar a infiltração das águas e, consequentemente, o abatimento do piso. Esta intervenção reveste-se da maior importância, atendendo a que irá pôr fim às infiltrações na Praça das Lampreias, situação que resultava em prejuízo para o Município devido aos danos causados em espaço público resultantes da invasão das águas. Consciente da importância de garantir as adequadas condições de segurança no local e de preservação do espaço público, o Município, à semelhança do que sucedeu relativamente a outras situações de risco na zona costeira, alertou as entidades competentes para as anomalias do muro da Praça das Lampreias, solicitando a sua intervenção com vista à resolução do problema. A sinalização desta ocorrência registou, tal como sucedeu relativamente a outras situações registadas na zona costeira, o melhor acolhimento por parte da Administração Central e a pronta intervenção da Agência Portuguesa do Ambiente, que está, agora, a proceder à reabilitação do muro, obra que deverá estar concluída, se tudo correr conforme o previsto, no final do mês de outubro.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts