FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 26 Out 2015

Concelhia do PSD vai a votos no sábado: António Proença Amaral quer pôr cobro às divisões internas

“Renovar com Confiança”, é este o lema da candidatura de António Proença Amaral à Concelhia do PSD de Viana do Castelo, que vai a votos […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

“Renovar com Confiança”, é este o lema da candidatura de António Proença Amaral à Concelhia do PSD de Viana do Castelo, que vai a votos no próximo sábado. Recorde-se que António Amaral já foi presidente da concelhia vianense e vereador na Câmara Municipal de Viana do Castelo. Decidiu escolher este momento para avançar com esta candidatura porque entende não poder “escamotear aqueles que são atualmente os reais e mais negativos problemas do partido – as profundas divisões internas entre as estruturas políticas do PSD em Viana do Castelo que em nada têm credibilizado a ação política da (atual) estrutura concelhia”. Como tal assume, como prioridade “definitivamente sanar este fracionamento do partido”. Há quase 700 militantes inscritos para votar e, apesar desta lista tentar ser um fator de união no partido, a atual concelhia, liderada por Eduardo Teixeira, decidiu candidatar-se. Apesar disso, António Proença Amaral acredita que os militantes se vão decidir pela renovação e união no seio do PSD de Viana do Castelo. Os vice-presidentes são Hermenegildo Costa, ex-autarca de Santa Marta e que tem também desempenhado diversos cargos partidários, e Rui Matos, atual autarca de Vila Nova de Anha e vice-presidente da atual concelhia liderada por Eduardo Teixeira. António Proença Amaral acrescenta que a lista que lidera “congrega diferentes gerações,  militantes com experiencia política, nomeadamente autarcas e ex-autarcas nas freguesias do concelho, todos eles com independência profissional”. Sublinha ainda que “renovar é sinal de vitalidade. Como tal o PSD tem de voltar a ser a “eira” do debate de ideias com objetivos claros para o concelho de Viana do Castelo. Ter a perceção que esta discussão só será enriquecida se o partido se abrir a sociedade civil e reconquistar a credibilidade e confiança não só dos militantes mas também dos Vianenses”. Quer também “retomar as suas ligações estreitas com os militantes”, nomeadamente com os “mais ativos, espalhados pelas várias freguesias do concelho, bem como com os que foram eleitos para cargos autárquicos ou com aqueles que por algum motivo não o conseguiram ser”, para que não sejam só lembrados “na altura em que os atos eleitorais estão “à porta”. A rematar sublinha que esta candidatura em nada altera a sua escala de valores e atitude motivada, até porque vai a votos “com o desprendimento de quem não precisa de lugares ou promoções políticas”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts