FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 21 Out 2015

UMinho representa Portugal em prestigiada rede de sistemas de informação

A Universidade do Minho acaba de entrar na ERCIS, uma das principais redes científicas mundiais em sistemas da informação, agregando 22 universidades de outros tantos […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A Universidade do Minho acaba de entrar na ERCIS, uma das principais redes científicas mundiais em sistemas da informação, agregando 22 universidades de outros tantos países. A academia minhota foi a escolhida em Portugal pelo seu know how ao longo de 25 anos e, também, enquanto sede nacional da Association for Information Systems e da Associação Portuguesa de Sistemas de Informação. Esta adesão abre oportunidades de parcerias no ensino (mestrados e doutoramentos) e na investigação, nomeadamente a participação ativa em candidaturas ao Horizonte 2020 e em projetos por todo o mundo. A iniciativa permite à academia minhota afirmar a internacionalização do seu Departamento de Sistemas de Informação, a sua oferta pós-graduada e o seu centro de investigação Algoritmi, que atua em setores como segurança, e-saúde, governação eletrónica, gestão de processos, design organizacional, auditoria, engenharia de software e sistemas inteligentes. O protocolo de adesão foi assinado no 6º workshop anual da ERCIS (acrónimo de Centro Europeu de Investigação em Sistemas de Informação), na Alemanha, pelo presidente do organismo, Jörg Becker, e pela professora da UMinho Isabel Ramos. Estiveram ainda presentes o vice-presidente da Escola de Engenharia da UMinho, António Gomes Correia, e o diretor do Centro Algoritmi, Ricardo Machado. “Estamos entre as universidades europeias com maior projeção mundial neste âmbito, o que trará oportunidades importantes para contribuirmos para o que de mais avançado se faz em investigação e ensino. Já em 2017 traremos para Guimarães a European Conference on Information Systems, que é o segundo maior evento mundial da área e reúne cerca de 600 investigadores”, refere Isabel Ramos. “A visibilidade internacional é decisiva para afirmar a excelência da investigação que realizamos com as empresas e, também, para atrair estudantes nacionais e internacionais que levem o nome da UMinho para onde quer que voltem após o seu período de formação”, acrescenta.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts