FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 08 Nov 2015

GNR constitui cinco arguidos em operação contra lenocínio

A GNR de Viana do Castelo anunciou este domingo ter constituído quatro homens e uma mulher como arguidos no âmbito de uma operação de combate ao […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A GNR de Viana do Castelo anunciou este domingo ter constituído quatro homens e uma mulher como arguidos no âmbito de uma operação de combate ao crime de lenocínio efetuada em Ponte da Barca, distrito vianense, e em Braga. O comando distrital da GNR de Viana do Castelo explicou que a operação foi o resultado de uma investigação iniciada há dois anos pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Arcos de Valdevez que incidia sobre “práticas do crime de lenocínio que vinham sendo perpetradas, de forma sistemática e organizada, nas localidades de Ponte da Barca e de Braga”.
Assim, numa ação realizada este sábado, às 23 horas, pelo Núcleo de Investigação Criminal, e reforçada com efetivos dos Destacamentos Territoriais de Arcos de Valdevez, Viana do Castelo, Valença e da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Braga, envolvendo 50 militares, foram os cinco indivíduos constituídos arguidos. No âmbito da operação, foram efetuadas “quatro buscas, três delas domiciliárias, e uma a um estabelecimento comercial, e ainda a diversos veículos”.
Além dos cinco arguidos, “quatro homens de nacionalidade portuguesa e uma brasileira, com idades compreendidas entre os 30 e os 65 anos”, foram ainda identificadas “nove mulheres naturais da Colômbia, Espanha, Venezuela e Brasil”, sendo que “todas se encontram em situação regular no país”. A GNR identificou também 15 homens “que se encontravam no interior do estabelecimento comercial”, alvo daquela investigação.
No decurso da operação, os militares apreenderam vários artigos relacionados com a prática de prostituição- como preservativos, lubrificantes sexuais, estimulantes e vibradores- diversos objetos em ouro (fios, pulseiras, anéis, colares), pedras preciosas de elevado valor patrimonial, que se presume serem esmeraldas, e 12.530 euros.
Os militares da GNR apreenderam também uma arma de caça de calibre 12 milímetros (mm) e 44 cartuchos do mesmo calibre, uma carabina de pressão de ar calibre 5,5 mm e diversos projeteis para essa arma, um aerossol de gás pimenta, dois bastões, sendo um deles extensível, uma arma branca, tipo punhal, um taco de basebol e diverso material informático e documentação.
 

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts