FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 11 Dez 2015

ATL de Natal para alunos com paralisia cerebral e autismo com apoio da Câmara de Viana

Cumprindo uma das propostas aprovadas no Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Viana do Castelo, este Natal, um grupo de alunos com paralisia cerebral e […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Cumprindo uma das propostas aprovadas no Orçamento Participativo da Câmara Municipal de Viana do Castelo, este Natal, um grupo de alunos com paralisia cerebral e autismo vai ter direito a Atividades de Tempos Livres (ATL). A realização de um ATL, durante as interrupções letivas, para alunos com paralisia cerebral e autismo, foi um dos projetos que mereceu aprovação dos munícipes durante a votação do Orçamento Participativo.
O projeto inicia-se este Natal, com atividades a desenvolver na EB1 da Abelheira, nos dias 18, 21, 22, 23, 28 e 29 de dezembro. Para a autarquia conseguir promover este ATL estabeleceu uma “estreita parceria” com a Associação de Paralisia Cerebral de Viana do Castelo (APCVC) e a Fundação AMA Autismo, uma vez que todos os participantes são utentes de uma destas duas instituições.
“Estes meninos não conseguem inscrever-se nos ATL’s que existem no concelho porque exigem muitos monitores a vigiar e não os aceitam”, explicou Ana Margarida Silva, vereadora com o pelouro da Ação Social. Vão participar nestas atividades 8 meninos com paralisia cerebral e 12 alunos com autismo.
Segundo a proposta aprovada esta quinta-feira, por unanimidade, pelo executivo vianense, quer a AMA quer a APCVC vão assumir a contratação de recursos humanos especializados, o seguro, a organização das atividades e aquisição de materiais. No que toca à AMA, a instituição também vai assegurar o transporte dos utentes.
A AMA vai contar com 15 monitores e receberá 2.970 euros de apoio da autarquia. A Associação de Paralisia Cerebral de Viana do Castelo vai ter 6 monitores e receberá 2.425 euros de apoio. “A AMA recebe mais apoio porque precisa de mais monitores para os meninos com autismo e porque assegura o transporte”, justificou Ana Margarida Silva.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts