FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 21 Dez 2015

“Natal dos Sós” volta a contar com presença do bispo D. Anacleto Oliveira

  Esta quinta-feira, dia 24 de dezembro, D. Anacleto Oliveira, bispo da diocese de Viana, volta a participar no “Natal dos Sós”. Artur Coutinho, pároco […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

 
Esta quinta-feira, dia 24 de dezembro, D. Anacleto Oliveira, bispo da diocese de Viana, volta a participar no “Natal dos Sós”. Artur Coutinho, pároco e responsável pela Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no concelho de Viana do Castelo, explicou à Geice que o Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora de Fátima conta com funcionários, voluntários e pessoas amigas que oferecem donativos alimentares ou monetários para esta festa. No total, serão cerca de 10 voluntários envolvidos. “Contamos com uma equipa de voluntários e de funcionários que são uns autênticos anjos, que contribuem para a alegria de todos”, frisou.
“O menu será o bacalhau normal, como em qualquer família, com batatas, couves, rabanadas, arroz doce, e muita variedade de sobremesas”, contou o pároco. “Há muita gente que faz guloseimas em casa e que faz questão de levar lá algumas”, disse Artur Coutinho. “Dão-nos sobremesas e alguns até nos dão dinheiro, todos ajudam”, referiu, afirmando que “a maior parte dos participantes são necessitados, não podem pagar, e nós também não vamos exigir dinheiro”.
Há já 31 anos que a Paróquia promove o “Natal dos Sós”, uma iniciativa que pretende proporcionar uma ceia de Natal a quem, por razões variadas, está sozinho nessa noite ou para quem não tem recursos económicos. Desde 1984 que o evento é promovido e, como já manda a tradição, a solidariedade acontece no Centro Social da paróquia, na Rua da Bandeira.
“Temos andado pelos 60 ou 70 participantes, todos os anos”, explicou Artur Coutinho, dizendo que “tem sido sempre uma festa de Natal, tal como se fosse em família, com todos bem dispostos, onde não falta nada e onde todos se sentem bem”.
Segundo o responsável, algumas famílias, que vivem naturalmente juntas, optam por participar neste momento, pois “tudo é pacífico, alegria e bem-estar”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts