FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 07 Jan 2016

Autarca de Viana no Presépio da APPACDM – “A justiça é como o azeite, vem sempre ao de cima”

Esta quarta-feira à noite, em Dia de Reis, foi apresentado mais um Presépio ao Vivo pelos utentes da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Esta quarta-feira à noite, em Dia de Reis, foi apresentado mais um Presépio ao Vivo pelos utentes da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental – APPACDM de Viana do Castelo. Perante uma Igreja de São Domingos repleta de gente, meia centena de pessoas, entre utentes, funcionários e amigos da associação, representaram um Auto de Natal, acompanhado por um coro que encheu de música a igreja local.
No final, na altura dos discursos, ficou provado que apesar do novo ano, as críticas continuam a ser as mesmas. Luiz Costa, presidente da APPACDM, aproveitou para defender a instituição que dirige. “Como é possível que ainda haja que a instituição não tem idoneidade?”, questionou, afirmando que “depois desta representação, mais do que indignação, sinto pena dessas pessoas”. “Sinto pena daqueles que colocaram em causa a nossa idoneidade”, disse ainda, em críticas dirigidas claramente à Segurança Social, representada no evento por Paulo Órgão, presidente do Centro Distrital de Viana do Castelo.
Depois, foi a vez de o autarca José Maria Costa afirmar que “hoje, mais uma vez, o presépio e a luz esteve presente, embora alguns achassem que esta luz não ia brilhar”. Em resposta ao presidente da APPACDM, garantiu que “não fui eu a apoiar a instituição, foi a comunidade que expressou a sua gratidão a esta associação”. “A comunidade mostrou o valor que dá a esta instituição”, indicou, garantindo que “a justiça é como o azeite, vem sempre ao de cima”. “Vale sempre a pena lutar quando as causas são justas e a atuação destes jovens é o maior argumento”, vaticinou José Maria Costa.
Sobre o Presépio ao Vivo, o presidente da associação que já conta com quarenta anos de existência referiu a importância da participação de “algumas dezenas de jovens” nesta apresentação, com o apoio dos trabalhadores. “Os jovens estão sempre ansiosos, a perguntar qual o papel que vão representar. Para eles, é uma imensa alegria”, contou.
“A adesão da comunidade é um incentivo para estes jovens e também para a instituição. É o reconhecer do facto que a instituição tem o seu papel na comunidade e que, afinal de contas, somos uma instituição idónea, contrariamente ao que a Segurança Social tem dito”, vaticinou.
Também José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, disse ser “um privilégio” assistir a este momento. “Estas representações são sempre bem emotivas porque vemos crianças que têm algumas dificuldades, mas que apesar das dificuldades, ao serem bem enquadradas tecnicamente, com uma instituição amiga e acolhedora e com um grande apoio da comunidade conseguem fazer verdadeiras representações ao nível de muitas outras que são feitas por pessoas que não têm estas dificuldades”, reforçou.
Já José Ramos, presidente da União de Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela, referiu que este é “um momento muito importante para o qual a União de Freguesias gosta de colaborar”. “Sentimo-nos orgulhosos. O São Pedro não ajudou, mas certamente que o Menino Jesus e os Reis Magos estiveram aqui para apoiar os nossos jovens”, confirmou.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts