FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 08 Jan 2016

Biblioteca Municipal de Viana recebe António Mega Ferreira em mais um À Conversa com…

No próximo dia 22 de janeiro a Biblioteca Municipal de Viana do Castelo recebe às 21h30 o “ À Conversa com… António Mega Ferreira”, com a […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

No próximo dia 22 de janeiro a Biblioteca Municipal de Viana do Castelo recebe às 21h30 o “ À Conversa com… António Mega Ferreira”, com a apresentação do livro “Hotel Locarno”. À conversa com…… é uma iniciativa da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo que visa promover, em torno do livro, o diálogo e a troca de conhecimentos com escritores contemporâneos, proporcionando a oportunidade de conviver de perto com os autores e a sua obra. Pretende-se que seja um espaço de incentivo à leitura, de divulgação das obras dos autores da atualidade, de promoção da cultura e do conhecimento e, sobretudo, de interação entre o público leitor e os escritores. Quanto ao convidado desta edição do À Conversa com…., António Mega Ferreira, é escritor, gestor e jornalista. Nasceu em Lisboa em 1949, estudou Direito e Comunicação Social, foi jornalista no Jornal Novo, Expresso e O Jornal, e na RTP, onde chefiou a redação da Informação do segundo canal. Foi chefe de redação do JL – jornal de letras, artes e ideias. Fundou as revistas Ler e Oceanos. Chefiou a candidatura de Lisboa à Expo’98 e foi comissário executivo da Exposição Mundial. Foi presidente da Parque Expo, do Oceanário de Lisboa e da Atlântico, Pavilhão Multiusos. De 2006 a 2012 presidiu a Fundação Centro Cultural de Belém. Atualmente, desempenha as funções de diretor executivo da AMEC|Metropolitana. Tem mais de trinta obras publicadas, entre ficção, ensaio, poesia e crónicas. Em 2002 foi-lhe atribuído o Grande Prémio Camilo Castelo Branco pelo seu livro de contos A expressão dos afectos. Na Sextante Editora publicou A blusa romena, Lisboa Song, Roma – Exercícios de reconhecimento, Macedo – Uma biografia da infâmia e, mais recentemente, Cartas de Casanova – Lisboa 1757.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts