FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 18 Fev 2016

Autarca não desiste da Fábrica de Louça de Viana mas diz que proprietário “não tem mostrado interesse”

José Maria Costa, autarca de Viana do Castelo, revelou que o atual proprietário da Fábrica de Louça de Viana “não tem mostrado interesse” em voltar […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

José Maria Costa, autarca de Viana do Castelo, revelou que o atual proprietário da Fábrica de Louça de Viana “não tem mostrado interesse” em voltar a produzir a louça regional. Apesar de existirem interessados na compra da fábrica, para que a produção possa ser retomada, o atual proprietário não tem sido recetivo às propostas. “Há interessados e propostas concretas mas o proprietário não tem dado resposta, nem mostrado interesse”, lamentou o autarca, referindo-se à unidade que está sem laborar desde 2012. “Não desistimos, vamos continuar a insistir mas não podemos apontar uma pistola ao proprietário. Esta administração nunca apostou na fábrica porque esta não é a sua área de negócio”, indicou ainda.
A questão foi levantada esta quinta-feira, em reunião de executivo, pelo vereador Eduardo Teixeira, da bancada do PSD, que propôs a realização de reuniões com a administração da fábrica da louça regional, “Se o executivo socialista não estiver disponível iremos nós solicitar reuniões com a administração da fábrica porque é um produto estratégico importante para a afirmação de Viana no mundo”, afirmou Eduardo Teixeira. Já a vereadora da CDU, Ilda Figueiredo, lamentou que o vereador do PSD “não tenha usado a sua influência enquanto foi deputado na Assembleia da República para insistir reativação da laboração daquela unidade”.
Na resposta, o socialista José Maria Costa afirmou que a laboração ainda não foi retomada não por “inércia” do executivo municipal mas porque “o proprietário não se tem mostrado interessado nas propostas concretas que lhe têm sido apresentadas ao longo dos anos”.
“Promovemos várias reuniões com o proprietário, posso dizer que tivemos sempre a maior abertura e cordialidade, mas fomos percebendo que havia um desinvestimento na unidade. A área de negócio do proprietário são as massas minerais, a matéria-prima”, revelou.
Com 242 anos, a fábrica “Louça Regional de Viana” encontra-se desde 2012 sem produção, mantendo apenas uma loja para escoar os produtos e um museu. “O proprietário não tem acolhido de forma satisfatória as propostas. Vou insistindo, mas nós não temos vocação para gerir fábricas de louça. Estamos aqui para apoiar. Manifestamos até disponibilidade para investir na reabilitação da fábrica, para sermos parte do processo, mas não temos tido acolhimento”, frisou, dizendo que não vai desistir “daquele que é um ícone de Viana”.
 “Já na fase final, quando a fábrica estava a concluir a produção, promovemos uma exposição da fábrica da louça, com materiais de artesanato, em conjunto com a Vianatece (…), fomos sempre bem acolhidos, mas percebemos que a intenção era mesmo encerrar”, lamentou.
Foi no Cais Novo, na freguesia de Darque, que a fábrica original foi fundada, em 1774, estando agora situada na freguesia da Meadela. Em 1999, a fábrica foi até distinguida pela Câmara de Viana com o título de Instituição de Mérito da cidade. Ainda nesse ano o negócio foi adquirido pela família Adelino Duarte da Mota, sendo atualmente gerida por José Manuel Cardoso Mota.
Imagem: Olhar Viana do Castelo

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts