FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 02 Fev 2016

Viana: Direção do Vianense vai realizar Assembleia Geral extraordinária “a curtíssimo prazo”

Rui Pedro Silva, presidente do Sport Clube Vianense, confirmou à Geice, na manhã desta terça-feira, que a direção “vai realizar a curtíssimo prazo uma Assembleia […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Rui Pedro Silva, presidente do Sport Clube Vianense, confirmou à Geice, na manhã desta terça-feira, que a direção “vai realizar a curtíssimo prazo uma Assembleia Geral Extraordinária para falar com os sócios e discutir a atual situação do clube”. A direção já pediu a marcação da assembleia a Luís Louro, presidente da Mesa da Assembleia Geral. O dirigente explicou também que, ainda durante o dia de hoje, o “Sport Clube Vianense vai enviar um comunicado oficial” sobre as mais recentes novidades.

Recorde-se que, como a Geice avançou, esta segunda-feira à noite, segundo edital do tribunal da comarca de Viana do Castelo, o Vianense corre o risco de perder parte considerável do seu património. Até dia 23 de fevereiro podem ser apresentadas propostas para aquisição da sede do centenário clube da cidade, situada na Rua Manuel Espregueira, por um valor mínimo de 570,333 euros. Também o estádio Dr. José de Matos está em risco de ser vendido, por um valor mínimo de 2 milhões e 465 mil euros. Por fim, segundo o edital, também uma casa situada na Rua de S. José, rua do estádio, pode ser vendida a partir dos 29,750 euros.

Recorde-se que em fevereiro de 2014 vários bens móveis do Sport Clube Vianense e de quatro dirigentes foram alvo de penhora no âmbito da execução lançada por uma instituição bancária. A instituição reclama o pagamento de um empréstimo de 286 mil euros, acrescido de juros, que foi contraído em 2011 pelo clube. Por não estarem a ser cumpridas as prestações mensais, a instituição bancária avançou para a ação de penhora.

“Os proponentes devem juntar à sua proposta, como caução, um cheque visado à ordem do solicitador de execução no montante correspondente a 5% do valor base”, lê-se nos editais que anunciam a hasta pública.. Se não surgirem interessados, pode depois ser marcada uma segunda praça, em função da vontade do exequente e do agente de execução.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts