FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 15 Fev 2016

Escuteiros “orgulhosos” da plantação de centenas de árvores em dia de muita chuva

Este domingo, tal como estava previsto, cerca de 200 jovens escuteiros de Viana do Castelo e de Braga juntaram-se para plantarem cerca de 1.300 árvores […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Este domingo, tal como estava previsto, cerca de 200 jovens escuteiros de Viana do Castelo e de Braga juntaram-se para plantarem cerca de 1.300 árvores em Vitorino dos Piães, numa zona que ardeu no ano passado. Apesar do mau tempo e da chuva que teimou em cair, os escuteiros mantiveram-se focados no objetivo e no orgulho de verem o trabalho a ser feito em conjunto.
Juliana Silva, escuteira, referiu que nem o frio nem a chuva os fez desistir. “Não podemos desistir. Ontem [sábado] andamos o dia todo à chuva, também foi um dia complicado, mas sobrevivemos. Hoje é só mais um dia, é uma ação comunitária, de voluntariado, e temos de terminar a tarefa. Vamos chegar ao final do dia orgulhosos do que fizemos”. “Somos escuteiros, estamos cá para ajudar a comunidade, para nos ajudarmos uns aos outros, é isso que queremos transmitir, a nossa união e força”, rematou a jovem.
Iara Lameira, do grupo de escuteiros de 1028 Reboreda, Vila Nova de Cerveira, admitiu que a atividade foi “bastante complicada, com o tempo a não ajudar” mas desistir “nunca” seria opção. Também Sara Arezes, do agrupamento 396 de Vila Nova de Muía, referiu que “com boa vontade tudo se faz”. “O tempo está complicado, mas os escuteiros têm de estar preparados para isto. Acho que estamos a fazer um bom trabalho, dentro do possível, pois com esforço, trabalho, dedicação e união, tudo se faz”, declarou.
No total, cerca de 200 adolescentes juntaram-se à comunidade para reflorestar uma extensa área ardida em maio do ano passado, plantando árvores de diversas espécies autóctones. Ricardo Rego, um dos responsáveis pela atividade que envolveu 11 agrupamentos de escuteiros e 2 de Braga, destacou o projeto comunitário que representa “a responsabilidade a autonomia dos jovens nesta questão ambiental”. “Uma plantação de 1.300 árvores parece-me algo de muito benéfico para todos estes jovens”, vaticinou.
Esta plantação comunitária contou com o apoio da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Ambíflora, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), GIPS, Junta Regional de Viana do Castelo do Corpo Nacional de Escutas e Junta de Freguesia local.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts