FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 09 Fev 2016

Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos ENVC inaugura nova sede e promete “resistir”

No dia em que celebrou os 49 anos de existência, o Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo inaugurou […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

No dia em que celebrou os 49 anos de existência, o Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo inaugurou a sua nova sede social. Sob o lema “Saber Resistir – Para saber conquistar o Futuro”, as portas do novo espaço abriram na Avenida Rocha Páris, esta terça-feira.
“Hoje é um dia muito feliz para o nosso Grupo Desportivo, que celebra 49 anos de existência. Nada melhor do que esta prenda para a nossa querida coletividade”, revelou Manuel Ramos, presidente do Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores dos ENVC,  prometendo continuar a “perpetuar, nesta casa”, as memórias dos ENVC. “Queiram os associados e os vianenses em geral, e o Grupo Desportivo saberá resistir e conquistar o futuro – este é o nosso lema”, garantiu.
Recorde-se que o grupo se viu “desalojado” daquela que sempre foi a sua Sede Social, situada na Praça Frei Gonçalo Velho, por não ter chegado a acordo com o proprietário do espaço no que toca ao valor e duração do contrato de arrendamento. “Apesar dos tempos difíceis, elevamos o nosso orgulho bem alto, à imagem de verdadeiros metalúrgicos da construção naval portuguesa, e partimos para a negociação, a fim de negociar um contrato de arrendamento da sede com o antigo senhorio dos ENVC. (…) Foram sempre muito difíceis as negociações, o valor da renda apresentado era incomportável para a nossa coletividade. (…) Após várias tentativas, as negociações abortaram e tivemos então de pôr os pés ao caminho e encontrar um novo espaço para a nossa sede social”, explicou Manuel Ramos.
Jaime Lacerda, criador e fundador da coletividade revelou que “quando tinha 19 anos meti a meu cargo a criação do Grupo Desportivo, mas estaria longe de imaginar que estaria aqui, 49 anos depois, nesta cerimónia”. “O projeto foi lançado, ganhou raízes. O projeto ganhou raízes pela independência do grupo, desde a primeira hora, totalmente independente da administração dos Estaleiros. (…) Desde o primeiro momento prevaleceu, na direção, nos órgãos sociais, um sentido democrático fortíssimo. Aquilo que se fazia no Grupo Desportivo era aquilo que o grupo queria, mais ninguém. Foram estes dois fatores que fizeram com que o grupo durasse 49 anos e, se Deus quiser, vai durar, pelo menos, outros tantos”, disse o fundador.
Já José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, que foi também trabalhador dos ENVC e membro do Grupo Desportivo e Cultural, destacou o trabalho desenvolvido pela coletividade. “Todos nós sabemos o trabalho importante que foi feito na linha editorial, ao longo dos anos, pelo Grupo Desportivo, e que é um acervo documental muito importante, retratando a história da nossa cidade”, começou por dizer o socialista. “Acima de tudo, retrata e perpetua as vidas, as tensões, as dificuldades, as alegrias de todos aqueles que ajudaram, ao longo de muitos anos, a construir navios e a fazer dos Estaleiros Navais um grande embaixador de Portugal em todo o mundo”, realçou.
Logo depois, o autarca deixou críticas aos que quiseram acabar com a empresa vianense: “Acho que isso é a nota mais positiva para aqueles que tentaram ser os detratores daquilo que foram os ENVC. Temos de ter orgulho e auto estima, porque os nossos Estaleiros foram um grande embaixador do nosso país em todo o mundo. Isso ninguém nos tira. Foi sob a égide dos Estaleiros que nós demos novos mundos ao mundo”, declarou o autarca que sempre defendeu os ENVC.
“Isto que procuraram apagar da nossa memória, nós não vamos deixar. Vamos resistir. A história vem sempre ao de cima. Os detratores da História normalmente não têm espaço na História, por isso não vamos falar mais deles. É preciso falar de uma empresa e de um Grupo Desportivo que tem um imenso património humano, social e cultural”, frisou José Maria Costa.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts