FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 07 Mar 2016

Futsal: GDC de Neiva pede à Federação demissão da direção da Associação de Futebol de Viana do Castelo

O Grupo Desportivo e Cultural de Neiva enviou à Federação Portuguesa de Futebol uma extensa exposição a solicitar a impugnação dos Campeonatos Distritais de Futsal […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Grupo Desportivo e Cultural de Neiva enviou à Federação Portuguesa de Futebol uma extensa exposição a solicitar a impugnação dos Campeonatos Distritais de Futsal Seniores Masculinos e Campeonato Distrital de Futsal Juniores “A” Masculinos organizados pela Associação de Futebol de Viana do Castelo.
No longo esclarecimento, o Grupo Desportivo e Cultural de Neiva afirma que “as regras estavam a ser alteradas já com os campeonatos a decorrer o que leva a uma violação de regulamentos e estatutos gravíssima, violando desta forma o Regulamento das Provas Oficiais”, pode ler-se no documento que Geice teve acesso.
A exposição assinada pelo Treinador da Equipa Júnior do Grupo Desportivo e Cultural de Neiva, Rui Filipe Lopes da Cunha, acrescenta que a Associação de Futebol de Viana não tem capacidade para organizar as provas e sugere à Federação (FPF) que a direção, presidida por Jorge Sarria, peça a demissão.
O treinador vai mais longe. “Demitam-se e coloquem no devido lugar pessoas interessadas e com vontade de trabalhar em prol do Futsal Vianense. O que não faltam neste país são jovens qualificados e com disponibilidade para trabalhar. É preciso é que as pessoas que se agarram a lugares por interesses ou vontades pessoais se dignem a resignar as suas posições em prol dos interesses do desporto”. conclui o documento.

Documento que chegou à redação da Rádio Geice FM:
“Segue o presente documento para indicar a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que o Grupo Desportivo e Cultural de Neiva (GDCN) pretende impugnar o Campeonato Distrital de Futsal Seniores Masculinos, bem como o Campeonato Distrital de Futsal Juniores “A” Masculinos organizados pela Associação de Futebol de Viana do Castelo (AFVC). Faremos um relato dos casos ocorridos de forma a facilitar a vossa ajuda relativamente ao motivo da impugnação.
A 11 de Setembro de 2015 a AFVC partilhou com os clubes participantes nas referidas competições o seu Calendário Oficial de Provas, bem como o Calendário Oficial da Época 2015/2016, sendo que a 1ª Jornada do Campeonato Distrital de Juniores “A” se realizaria a 19 de Setembro, ou seja, apenas e só com uma semana de antecedência do início da prova. As inscrições de atletas apenas poderiam acontecer até dia 16 de Setembro, sendo que no entanto era impossível para o nosso clube proceder a inscrição de atletas conforme as normas estabelecidas pelo que foi solicitado junto da AFVC uma alteração da jornada para que os clubes procedessem as inscrições de forma regular e com tempo, pelo que a resposta foi que seria necessário que os clubes estivessem em acordo, o que não se verificou e que levou a que o GDCN indicasse a AFVC que não poderia efectuar a partida. A AFVC abriu um processo disciplinar ao clube por falta de comparência na partida que opunha o GDCN frente a Associação Desportiva e Cultural de Anha. O resultado desse processo disciplinar foi conhecido em Novembro com a penalização de derrota por 0-3 ao GDCN, bem como a subtracção de mais 3 pontos.
Entretanto a 24 de Setembro de 2015, a AFVC determina em Reunião Extraordinária que ao invés do que esta referido no Regulamento de Provas Oficiais da Associação de Futebol de Viana do Castelo no Capítulo III referente a Organização Técnica das Provas, mais concretamente no Artigo 30º – Campeonato Distrital de Futsal Juniores- A Masculino, alínea A) Primeira Fase, ponto 3, que: “Quando o número de Clubes nesta Divisão for igual ou inferior a 12, serão os mesmos agrupados numa única série, que jogarão entre si, em poule por pontos, a duas voltas, para apuramento dos 4 (quatro) primeiros classificados. Os restantes Clubes não apurados para a poule atrás referida, disputarão um “Torneio Extraordinário”, de participação obrigatória, a instituir pela A.F.V.C., agrupados em séries, que jogarão entre si, em poule por pontos, a duas voltas.” Passaria sim, ao invés de tudo isto, a não se proceder ao apuramento dos 4 primeiros classificados, mas sim ao apuramento directo do primeiro classificado que deste modo estaria directamente apurado para a Taça Nacional de Futsal Juniores “A” Masculino organizada pela FPF.
Mais ainda ficou definido nesta reunião que segundo o Artigo 24º – Campeonato Distrital de Futsal Seniores Masculino, alínea A) Primeira Fase, ponto 3, que: “Quando o número de Clubes nesta Divisão for igual ou inferior a 12, serão os mesmos agrupados numa única série, que jogarão entre si, em poule por pontos, a duas voltas, para apuramento dos 4 (quatro) primeiros classificados. Os restantes Clubes não apurados para a poule atrás referida, disputarão um “Torneio Extraordinário”, de participação obrigatória, a instituir pela A.F.V.C., agrupados em séries, que jogarão entre si, em poule por pontos, a duas voltas.” Em momento algum, ou ponto algum do referido Artigo 24 aparece qualquer indicação do tipo de pontuação que seria atribuída aos clubes para a 2ª Fase, no entanto, e como em épocas anteriores a AFVC iria atribuir 50% da pontuação obtida durante a 1ª Fase aos clubes apurados para a série dos 4 primeiros classificados.
De referir que todas estas decisões importantes para o desenrolar dos respectivos campeonatos são acordadas verbalmente e sem a elaboração de qualquer acta que neste caso e como estamos perante uma alteração a regulamentos teria que existir para desta forma estar provado quem esteve presente, bem como quem foi responsável pelas alterações. Após estas decisões competia a AFVC enviar uma Comunicado Oficial ou algum tipo de Notificação a todos os clubes inseridos nas respectivas competições o que não aconteceu em momento algum durante os períodos de competição ou seja, ninguém sabia das regras em vigor literalmente.
O pior de tudo isto é que, as regras estavam a ser alteradas já com os campeonatos a decorrer o que leva a uma violação de regulamentos e estatutos gravíssima, violando desta forma o Regulamento das Provas Oficiais ao nível do Artigo 76º do Capítulo IX que refere que qualquer alteração ao referido Regulamento teria que ser feita até dia 31 de Janeiro e só entraria em vigor na próxima época desportiva o que não esta a acontecer. O que poderia ter acontecido nessa altura teria sido um “arranjo” ao referido regulamento seguindo o Artigo 63º do Capítulo VII que refere que poderiam ter existido os mesmos em defesa dos interesses desportivos e financeiros da Prova, mas estes arranjos não podem de qualquer forma interferir na estrutura global da Prova.
Ao longo da época sempre que contactada a pedir esclarecimentos sobre o que se estava a passar nas Competições, bem como, a forma como se iriam desenrolar, a resposta de parte dos dirigentes da AFVC foi sempre: “NÃO SEI”!! No início de Fevereiro e após bastantes tentativas de pedidos de esclarecimentos sobre as provas em questão, bem como, de alguns emails, a AFVC finalmente decide comunicar aos clubes que não haveria 2ª Fase no Campeonato Distrital de Juniores “A” Masculinos como ficou “apalavrado” na reunião de 24 de Setembro. Sim a palavra que nos foi dita foi mesmo essa “apalavrado” e não com uma Acta que comprove quem esteve presente e quem votou a favor de uma alteração de Regulamentos de uma Competição.
A 12 de Fevereiro, em dia de sorteio dos Quartos-de-Final da Taça Distrital da AFVC de Seniores e Juniores “A” Masculinos, o GDCN solicita ao vice-presidente para o Futsal a análise de um Ofício relativamente ao Campeonato Distrital de Futsal Juniores “A” Masculinos, que lhe comunicou que o mesmo seria analisado em Reunião de Direcção no dia 15 de Fevereiro. A resposta a um documento que já na altura solicitava a AFVC o cumprimento dos Regulamentos, bem como, soluções para tudo acontecer dentro dos prazos legais para comunicação a FPF do representante da AFVC na Taça Nacional Juniores “A” Masculino é dada no dia 1 de Março tentando desta forma hipotecar toda e qualquer forma de recurso apresentada pelo nosso clube para assim ser cumprido o regulamento em vigor e desta forma a nossa equipa ter uma hipótese de lutar por uma presença na referida competição.
A juntar ainda mais a este acumulado de situações, a 13 de Fevereiro, o GDCN realiza o seu último jogo para o Campeonato Distrital de Futsal Juniores “A” Masculinos frente a equipa do Clube Futsal Nogueirense. Ora terminado o jogo, a nossa equipa termina o Campeonato com 51 pontos, mas que passariam a 48 (em Função do Castigo do Processo Disciplinar que levou a perda de 3 pontos por falta de comparência), e o Clube Futsal Nogueirense terminaria assim com 46 pontos. No entanto a AFVC permitiu que este clube realiza-se um jogo em atraso (relativo a jornada 21 e que deveria ter ocorrido a 6 de Fevereiro), no dia 18 de Fevereiro, ou seja, após o suposto término do Campeonato e que fez com que o Clube Futsal Nogueirense com a vitória no referido encontro se sagrasse Vencedora da 1ª Fase do Campeonato Distrital de Futsal Juniores “A” Masculinos com 49 pontos. Sim depois de supostamente tudo ter terminado ainda foi possível a uma equipa alterar a classificação.
Para terminar e relativamente ao Campeonato Distrital Futsal Seniores Masculinos, queremos ainda informar a FPF que a 1ª Fase da referida competição terminou a 27 de Fevereiro, no entanto a AFVC em email enviado a 1 de Março, comunica aos clubes participantes na referida competição que afinal na 2ª Fase os pontos começariam de 0 e não com os referidos 50% dos pontos obtidos na 1ª Fase como tinha ficado “apalavrado” a 24 de Setembro.
Posto isto, entendemos que ao abrigo do Artigo 54 do Capítulo V do Regulamento de Provas Oficiais da Associação de Futebol de Viana do Castelo, a Classificação Geral do Campeonato Distrital de Juniores “A” Masculinos não deverá ser homologada uma vez que antecipadamente é feita a presente reclamação correspondente ao mesmo.
Por todo este conjunto de acontecimentos insólitos e que prejudicam a verdade desportiva nacional, solicitamos junto da FPF uma análise a tudo que se esta a passar nesta Associação e que se tomem medidas urgentemente de forma a não deturpar aquilo que aconteceu dentro de campo.
Se a Associação de Futebol de Viana não tem capacidade para se organizar, uma vez que desde Julho de 2015 sabiam a calendarização das Taças Nacionais para a época em vigor, pelo que é evidente a falta de organização da referida Associação no que ao Futsal diz respeito.
Demitam-se e coloquem no devido lugar pessoas interessadas e com vontade de trabalhar em prol do Futsal Vianense. O que não faltam neste país são jovens qualificados e com disponibilidade para trabalhar. É preciso é que as pessoas que se agarram a lugares por interesses ou vontades pessoais se dignem a resignar as suas posições em prol dos interesses do desporto”.
Atenciosamente
Rui Filipe Lopes da Cunha
Treinador da Equipa Júnior do Grupo Desportivo e Cultural de Neiva

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts