FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 17 Mar 2016

Padre da Sé pede maior participação na Páscoa de Viana

Em Viana do Castelo, o padre Armando Dias, responsável pela Sé, pede uma maior colaboração dos fiéis e amigos nas celebrações da Páscoa. “A quinta-feira […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em Viana do Castelo, o padre Armando Dias, responsável pela Sé, pede uma maior colaboração dos fiéis e amigos nas celebrações da Páscoa. “A quinta-feira santa é um ponto importante das nossas comemorações, na questão da participação das pessoas. Mas o ponto Central é o Tríduo Pascal a culminar com a Vigília Pascal. Também nestas celebrações se nota muitas pessoas doutras paragens. Pede-se a participação para o Domingo de Ramos”, pede assim o pároco.
A noite da Quinta-feira Santa, que acontece, este ano, a 24 de Março, contará com a tradicional visita às igrejas e capelas da cidade de Viana do Castelo. “A Quinta-feira Santa é um ponto muito interessante, porque concentra mais pessoas. As pessoas apreciam os espaços sagrados e isso é importante. A celebração da vida e da memória ajuda imenso a riqueza dos nossos espaços. Também estas simples tradições são uma referência para a preservação do nosso rico património cultural e arquitectónico”, declara ainda Armando Dias.
No total, em Viana do Castelo, 21 igrejas e capelas vão estar abertas, entre as 20 e as 24 horas, para receber os fiéis na noite de 24 de Março. Como dita a tradição, na noite da Quinta-feira Santa os fiéis devem visitar um número ímpar de templos. Esta noite é a única ocasião do ano em que abre ao público a Capela da Casa da Carreira, construída no início do século XVIII e propriedade da Câmara Municipal de Viana do Castelo. A capela do Gil Eannes, que tem sido uma das mais visitadas nos últimos anos, volta a abrir as portas, sendo que esta é a Capela onde era celebrada a Missa para tripulantes e pescadores da frota bacalhoeira nos mares da Terra Nova e Gronelândia.
Igrejas e Capelas abertas à Adoração na noite de 24 de março, das 20h00 às 24h00:

Sé Catedral

Monumento do séc. XV classificado como Imóvel de Interesse Público.

Igreja da Misericórdia

Igreja barroca do séc. XVIII.

Capela de N.ª Sr.ª do Resgate

Capela do séc. XVII com imagens de S. Crispim, Sta. Rita de Cássia e Sr.ª do Resgate.

Igreja N.ª Sr.ª da Caridade

Igreja do séc. XVI do antigo Convento de Sta. Ana, de freiras beneditinas, foi alvo de várias reformulações preservando-se o frontispício setecentista em estilo “barroco joanino” e coruchéu manuelino na torre.

Igreja de S. Francisco (Ordem Terceira)

Templo do séc. XVIII no período de transição do Rococó para o Neoclassicismo.

Capela da Casa da Carreira (Câmara Municipal)

Capela do séc. XVIII anexa ao antigo palácio dos Abreu Távora, com retábulo barroco e pedra de armas na frontaria.

Igreja das Almas

Edificada no séc. XIII foi a Matriz de Viana até meados do séc. XV e passou a chamar-se Capela das Almas por ter sido local de enterramento desde o tempo de D. Afonso III até

Igreja do Seminário do Carmo

Igreja do antigo Convento dos Carmelitas Descalços, edificada em meados do séc. XVII com linhas “Chãs” maneiristas.

Igreja Paroquial de N.ª Sr.ª de Fátima

Último convento a ser fundado em Viana, foi das Carmelitas Descalços é hoje paroquial de N.ª Sr.ª de Fátima, servindo como “Asilo das Meninas Órfãs e Desamparadas” e mais recentemente “Lar de Sta. Teresa.

Igreja da Sagrada Família

Igreja inaugurada a 08 de setembro de 2012, pertence à Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e destaca-se pela sua arquitetura contemporânea.

Capela do Recolhimento de Santiago (Capela de Sta. Rita)

Casa de recolhimento do séc. XVI com devoção peculiar a Sta. Rita de Cássia, desde o séc. XIX recebe mulheres que, até há poucas décadas atrás, vendiam os pastéis de S. Tiago ou “meias-luas” através da “roda de ferro” como forma de angariação e dinheiro sendo esta a única forma de contacto com o mundo exterior.

Igreja de N.ª Sr.ª D’Agonia

Capela de romagem reproduz nos sete altares os passos da via-sacra que lhe deu origem.

Capela de S. Roque

Construída no séc. XVII, esteve sujeita às maiores sevícias e saques, sendo cedida em meados do séc. XX à Confraria de N.ª Sr.ª da Agonia, reabrindo a capela ao culto público.

Capela do Senhor do Calvário

Situada de encontro à sacristia da Igreja da Agonia, com a qual comunica, deverá remontar à segunda metade do século XVII.

Capela do Carmelo de Sta. Teresinha

Implantada no ano de 1930 e benzida em 1936 é capela do único convento de clausura existente no distrito de Viana do Castelo.

Capela do Seminário Diocesano

Benzida em 1997, a capela dedicada a N.ª Sr.ª da Conceição tem traçado em curvatura em forma de ovo numa linguagem arquitetónica moderna.

Capela de N.ª Sr.ª das Candeias

Com origem no séc. XVII a capela é dedicada ao patrono dos alfaiates e apresenta elementos decorativos manuelinos, oriundos da antiga Fonte dos Tornos, incrustados na parede exterior.

Capela de Sta. Catarina

Com proveniência desconhecida, apresenta colunas e entablamentos de granito do séc. XVI, tendo sido mudado o culto de Sta. Catarina para outro local dada a construção do Forte ou Castelo de Santiago da Barra.

Igreja de S. Domingos (Igreja Paroquial de Monserrate)

Templo quinhentista com origem no convento de Sta. Cruz, fundado pelo Dominicano D. Frei Bartolomeu dos Mártires, o Arcebispo Santo.

Capela do Museu de Artes Decorativas

Capela-oratório barroca com retábulo do séc. XVIII, é notável pela sua riqueza escultórica e pela sistematização da talha em Portugal, sendo modelo único em Viana.

Capela do Navio-Hospital Gil Eannes

Capela onde era celebrada a Missa para tripulantes e pescadores da frota bacalhoeira nos mares da Terra Nova e Gronelândia, sendo restaurada em 2008 e integrada no percurso de visita do navio museu.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts