FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 23 Mar 2016

Pizzaiolo vianense vai a Itália representar Portugal no Campeonato Mundial da Pizza

Nos dias 11, 12 e 13 de abril a cidade de Parma, em Itália, acolhe o Campeonato Mundial da Pizza e, este ano, um vianense […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Nos dias 11, 12 e 13 de abril a cidade de Parma, em Itália, acolhe o Campeonato Mundial da Pizza e, este ano, um vianense vai representar a seleção portuguesa no evento. Paulino Queirós, sócio-gerente da pizzaria Dolce Vianna, é o atual campeão português da pizza e vai representar o país, enfrentando cerca de 800 pizzaiolos de dezenas de países.
Paulino Queirós tem 50 anos de idade, é natural de Vila de Punhe, e explicou à Geice que começou a trabalhar numa pizzaria por mero acaso. “Esta experiência com as pizzas começou muito cedo. Tinha 16 anos quando me apareceu uma oportunidade de emprego, para trabalhar em hotelaria. Passado cerca de ano e meio, apareceu-me uma possibilidade de trabalhar numa pizzaria. A partir daí, começou a paixão pelas pizzas, pela gastronomia. Tenho vindo sempre a fazer o melhor que sei, com a minha paixão, investindo no que mais gosto de fazer, que é a comida italiana, com destaque para as pizzas”, revelou o cozinheiro.
Quando foi convidado para trabalhar numa pizzaria, admite que “nem sabia o que era uma pizza”. Com a ajuda do senhor Evaristo, foi na Dolce Vianna, antiga Dolce Vitta, que aprendeu tudo o que sabe. “Comecei a trabalhar como pizzaiolo, a fazer pizzas, como reprimenda do meu patrão. Estava a brincar, então ele, para me castigar, levou-me para a beira dele, para começar a apertar a massa. Comecei assim a apertar a massa. Depois, ele começou a dizer-me que, se queria jantar, tinha de fazer a minha pizza. Foi assim que comecei a fazer pizzas, a estender e a fazer a massa. Andei muito tempo a aprender, porque naqueles tempos não existiam as facilidades que existem no dia de hoje”, confessa. Com dedicação e empenho, “até usava panos de cozinha para ajudar a fazer a massa”, explica, dizendo que “fazia um molde com o pano, fazia o efeito redondo, e treinava”.
“Fui fazendo, fui-me aperfeiçoando. Ainda hoje, com esta idade, quero estar sempre a aperfeiçoar-me. Temos de estar sempre a aprender e as pessoas, hoje em dia, são cada vez mais exigentes”, realça Paulino Queirós.
Recentemente, o vianense foi fazer formação a Itália com Paolino Bucca, tetra campeão do mundo de pizza acrobática. Apesar do trabalho, para o pizzaiolo vianense, o segredo de uma boa pizza é mesmo a paixão. “Quando uma pessoa faz as coisas com paixão e com gosto, as coisas saem bem. Não há segredos. Claro que os produtos têm de ser frescos, disso não haja qualquer dúvida. Os produtos frescos fazem uma boa pizza, se não o forem, as coisas não saem tão bem e a qualidade não é tão boa”, frisou Paulino Queirós.
Chegou a sócio-gerente da Dolce Viana em 1987, há quase três décadas. “Vejo pessoas agora que já andaram no meu colo, quando eram bebés. Hoje em dia, essas pessoas levam à pizzaria os filhos. É muito gratificante ver pais e filhos, pessoas que continuam a gostar da casa. É assim que recebemos o agradecimento pelo trabalho que fazemos, é assim que vemos reconhecido o nosso mérito”, vaticina o vianense que vai representar o país no Campeonato Mundial da Pizza.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts