FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 03 Mar 2016

Teatro Diogo Bernardes recebe Orquestra de Câmara da GNR

No próximo fim-de-semana, mais precisamente esta sexta-feira, às 22h00, integrado nas Comemorações do Dia de Ponte de Lima, o Teatro Diogo Bernardes apresenta o concerto […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

No próximo fim-de-semana, mais precisamente esta sexta-feira, às 22h00, integrado nas Comemorações do Dia de Ponte de Lima, o Teatro Diogo Bernardes apresenta o concerto pela Orquestra de Câmara da Guarda Nacional Republicana, sob a direção do Maestro Sargento-Mor Marco Ferreira e com a participação da Soprano Ana Cosme. A Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana, num esforço pioneiro em Portugal (a nível de bandas militares) de modernização e versatilidade e para melhor cumprir a sua missão, decidiu alargar a sua composição instrumental aos naipes de cordas que ainda não possuía: violinos e violas. Tendo desde logo a anuência do seu Comando, em Março de 2008 passa assim a integrar nos seus quadros, 3 violinistas e um violetista. Foi então criado um pequeno Grupo de Câmara constituído por 3 violinos, uma viola e um violoncelo, que desde logo encetou intensa atividade, realizando concertos em cerimónias oficiais ou a convite de entidades várias, de cariz mais intimista. Este pequeno agrupamento veio substituir o anterior, composto essencialmente por instrumentos de sopro, ao qual se juntavam um violoncelo, um contrabaixo e uma harpa, e que vinham realizando concertos desde há décadas, um pouco por todo o país. De destacar uma deslocação em 2002 a Bruxelas, por ocasião das comemorações do dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Em 2009 o leque de instrumentistas do novo Grupo de Câmara é alargado, e passa a integrar seis violinos e 2 violas, aos quais se juntam os violoncelos e contrabaixos de cordas necessários para a execução do programa a designar em cada ocasião. Com esta constituição podemos já falar de uma pequena Orquestra de Câmara que, integrando sempre que necessário instrumentos de sopro, pode assim interpretar a quase totalidade do repertório Barroco e Clássico existente. Assim, e desde a sua recente constituição, seja sob a forma de Grupo de Câmara ou de Orquestra de Câmara, foram já realizados dezenas de concertos em locais como a Assembleia da República, Academia Militar, Museu da Presidência da República no Palácio de Belém, Ministério da Cultura no Palácio da Ajuda ou o Ministério da Administração Interna na Praça do Comércio e várias salas de espetáculos em todo o país. Os bilhetes encontram-se à venda no Teatro Diogo Bernardes (2,00€).

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts