FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 17 Mar 2016

Vereadores da oposição apoiam presidente na vontade de adquirir sede do Vianense

O presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo informou os vereadores, esta quinta-feira, da intenção de compra da sede do Sport Clube Vianense e, […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo informou os vereadores, esta quinta-feira, da intenção de compra da sede do Sport Clube Vianense e, apesar de algumas diferenças de opinião, todos parecem concordar com a solução apresentada para ajudar o centenário clube desportivo. José Maria Costa começou por indicar que ainda não tem os “valores definitivos”, depois de reunir com a Caixa de Crédito Agrícola, mas já fez a sua “manifestação de intenções”. No final da reunião, aos jornalistas, o autarca disse que deverá apresentar a proposta de compra da sede do Vianense “dentro de uma ou duas semanas”, quando tiver os valores definitivos.
Ilda Figueiredo, da CDU, referiu que a proposta ajuda a resolver “o problema premente, mas não resolve os problemas de fundo do Vianense”. Apesar disso, concordou que o Vianense perde parte do património mas de forma “menos grave”, pois a sede passa a ser do domínio público. “Esta proposta não prejudica o município, porque o prédio vale mais do que a Câmara vai pagar por ele”, vaticinou. “A CDU concorda que a Câmara de Viana contribua para ajudar a resolver o problema do Vianense, tendo em conta que o clube é património da cidade e tendo em conta que era necessário encontrar resposta para esta questão”, destacou a vereadora. Referiu também as “más condições” do campo de jogos e dos balneários, indicando que se o Vianense “tem um jogo mais importante, não pode usar o campo”. Por isso, pediu à autarquia para pensar num apoio para a recuperação do campo de jogos do clube da cidade.
José Maria Costa respondeu dizendo que a autarquia tem sido a entidade pública “que mais tem apoiado o Vianense, nomeadamente na formação”, mas referiu que “não é uma situação fácil”. “Desde a origem, o Vianense teve muitas modalidades que hoje não tem e hoje há novas modalidades que podem ter representação no clube”, sugeriu, pedindo uma “remodelação” do Vianense. “A trajetória dos últimos anos é uma trajetória de colisão”, lamentou, referindo o risco de insolvência “a curto prazo”. “Tem que haver trabalho da direção e da sociedade civil. Temos muito carinho e apreço pelo clube, mas agora tem que haver clarividência da direção e da massa associativa para rever o posicionamento do clube relativamente ao futuro”, pediu José Maria Costa.
Já Eduardo Teixeira, do PSD, diz que a mudança de atitude do autarca “merece a nossa reflexão” pois, há poucas semanas, o líder do executivo “fechara a porta à possibilidade de ajudar o clube”. “O que mudou em quinze dias?”, questionou o vereador laranja, referindo a “engenharia financeira” que permite ao município “comprar por metade do valor o património do clube”. “Isto ajuda a pagar a divida mas não ajuda a resolver o problema do Vianense”, considerou ainda. No final do encontro, o vereador referiu que “conhecemos duas pessoas à frente do município, porque a pessoa que agora trouxe esta proposta foi a mesma que, há duas semanas, recusou liminarmente qualquer tipo de ação para salvar o Vianense da situação trágica que existia”.
Também Helena Marques, do PSD, indicou que a Câmara “não pode resolver os problemas de todos os clubes”. “Não podemos cair na tentação de resolver problemas internos dos clubes”, frisou a responsável, considerando que este é “um caminho perigoso” e defendendo que o problema é “estrutural” e que tem de ser resolvido “internamente”.
Recorde-se que no domingo, dia 13 de março, durante a sessão solene que celebrou os 118 anos do Sport Clube Vianense, o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo anunciou intenção de entregar uma proposta para compra da sede do clube, “resgatando” assim o património da instituição centenária. Antes, a 23 de fevereiro, fechara deserta a hasta pública que colocara à venda o património do Sport Clube Vianense, depois de uma hipoteca por falta de pagamento de um crédito a uma instituição bancária. O centenário clube de Viana do Castelo corria o risco de perder o seu património, entre o Estádio Dr. José de Matos, a sede situada na Rua Manuel Espregueira e um apartamento, visto que o processo entrara numa segunda fase, por venda por particulares. Agora, apesar de ainda não querer referir quaisquer valores, José Maria Costa afirma que a proposta que a Câmara de Viana vai apresentar servirá para liquidar a dívida que o clube tem, na ordem dos 350 mil euros, à Caixa de Crédito Agrícola, na sequência de um empréstimo contraído em 2011 e que está com vários pagamentos em atraso.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts