FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 23 Mai 2016

CDU denuncia “acumular de atrasos” em obras previstas para o concelho de Viana

Esta segunda-feira, em conferência de imprensa, a CDU denunciou o “acumular de atrasos” em obras previstas para o concelho de Viana do Castelo. Ilda Figueiredo, […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Imagem: Sónia Silva Sá
Esta segunda-feira, em conferência de imprensa, a CDU denunciou o “acumular de atrasos” em obras previstas para o concelho de Viana do Castelo. Ilda Figueiredo, eleita vereadora na Câmara Municipal de Viana do Castelo, considerou que, em dois anos e meio de executivo socialista, o município tem sido marcado por atrasos no que a obras importantes diz respeito. Depois de visitar as freguesias de Darque, Afife e também a cidade de Viana, a vereadora apresentou um conjunto de queixas sobre a falta de obras no concelho vianense, por adiamento ou por razões que desconhece. A responsável quis expressar “preocupação com o arrastar de obras públicas prometidas há muito tempo e que continuam por se concretizar”.
Em Afife, a vereadora foi alertada para os atrasos nas obras de saneamento, situação que acontece “em muitas outras freguesias do interior do concelho”. Ilda Figueiredo destaca “os atrasos nos arruamentos, no lançamento das obras prometidas, que às vezes até têm já o concurso pronto mas que não saem do papel”.
“É todo um acumular de atrasos que começa a ser aflitivo ao fim de dois anos e meio deste executivo”, frisou a responsável, que se mostrou muito insatisfeita com as obras “mal feitas” que encontrou numa visita à Praia de Afife. “Há um ano disse ao executivo que era preciso repensar aquelas obras. Ficaram de rever algumas coisas. Agora, passado um ano, não alteraram a situação, continua a não haver acesso para pessoas com deficiência e para idosos. Continua a praia sem ter sanitários. Destruíram os que havia com as obras e agora não há sanitários na Praia de Afife”, revelou Ilda Figueiredo.
“Mesmo aquilo que foi feito, e que a população sempre contestou, em termos de madeiras e de parque de estacionamento, ao fim de um ano verifica-se que a população tinha razão. Uma parte já está degradada, porque foi mal feito e porque os materiais eram de má qualidade”, acusou a vereadora, indicando que “a obra não teve em conta as condições do terreno e as chuvas, por exemplo, pois o parque de estacionamento já está cheio de valas”. Também a iluminação é motivo de insatisfação na Praia de Afife, “porque não funciona”. A representante da CDU diz mesmo que os materiais utilizados foram “de péssima qualidade”, mas que o executivo “recusa ouvir a população e entrar no diálogo”.
“Já nem estou a falar de obras exclusivamente de responsabilidade municipal”, realçou a representante da CDU, nomeando os sucessivos atrasos nas obras na Praia Norte e nas escolas Frei Bartolomeu dos Mártires e de Barroselas. Também o adiamento da requalificação dos bairros do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana – IRHU, em Darque e na Meadela, preocupam a responsável. “Em Darque chegaram a dizer que se iniciavam em 2015 e na Meadela em 2016. Estamos em meados de 2016 e não se iniciaram nas duas freguesias nem sabemos quando vão começar”, lamentou.
Na Praia do Cabedelo, em Darque, faltam os sanitários e “ficaram sem resposta questões importantes, como a integração da defesa do património”. Ilda Figueiredo diz que foi negligenciado o pequeno estaleiro de construção de pequenos barcos e o forno de cal, bem como “máquinas diversas que estão lá, dispersas”. “Junto ao parque de campismo e à escola de surf faltam também sanitários e chuveiros. Construíram-se passadiços de madeira, mas não melhoraram as condições da população que lá vai”, ditou a responsável. Também a antiga discoteca Luziamar, situada no Cabedelo, é motivo de preocupação, pois continua “a ser palco de despejo de lixos”, tendo a responsável assistido “a mais uma descarga de lixo naquela zona”.
Sobre o alargamento do cemitério de Darque, Ilda Figueiredo explica que “muito terreno” foi adquirido pela Câmara de Viana e pela Junta de Freguesia, denunciando “a pouca informação sobre o uso que vai ser dado ao terreno que sobra do alargamento do cemitério”, querendo também mais dados sobre os acessos e o parque de estacionamento previsto. “Existe escassez de informação sobre o que se pretende fazer”, critica.
Na cidade de Viana, a vereadora continua a insistir na abertura do Parque Urbano a todos os munícipes e também na abertura da ponte móvel na doca. Explica que a abertura da ponte, que está prometida para “breve” pelo autarca José Maria Costa, vai ser uma grande ajuda para os pescadores e população ribeirinha, pois vai permitir fazer em cerca de 20 metros um percurso que, neste momento, exige um desvio de 1 quilómetro. “Continua tudo fechado, a ponte móvel e o Cantinho dos Pescadores. A população continua a insistir, a querer saber quando abre, e eu não sei o que responder”, declara Ilda Figueiredo.

Imagem: Sónia Silva Sá

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts