FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 25 Mai 2016

Ciclo de conferências sobre Cardeal Saraiva abre com por D. Frei Geraldo

No dia 03 de junho, pelas 19 horas, o município de Ponte de Lima abre o ciclo de sete comunicações dedicadas a D. Frei Francisco […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

No dia 03 de junho, pelas 19 horas, o município de Ponte de Lima abre o ciclo de sete comunicações dedicadas a D. Frei Francisco de S. Luís, também conhecido por Cardeal Saraiva, numa iniciativa que acontece no âmbito das comemorações dos 250 anos do nascimento desta figura cimeira da cultura local. O Auditório da Biblioteca Municipal de Ponte de Lima acolhe a conferência “O beneditina Cardeal Saraiva e os estudos históricos”, orientada por D. Frei Geraldo Coelho Dias.
Seguem-se, a 21 de julho, “O Cardeal Saraiva: o homem e os livros”, da responsabilidade de António M. Barros Cardoso; a 23 de setembro, “Frei Francisco de S. Luís: académico e filólogo”, por Telmo Verdelho; a 21 de outubro, “O Cardeal Saraiva e o conflito entre o Estado e a Igreja na Revolução Liberal portuguesa”, ministrada por Afonso Rocha; a 11 de novembro, “D. Frei Francisco de S. Luís e os estudos literários”, a cargo de Cândido Martins; e, finalmente, a 02 de dezembro, “Tensões e conflitos entre liberais e absolutistas no Alto Minho, no tempo de Cardeal Saraiva”, por Alexandra Esteves. Por seu turno, a conferência “Frei Francisco de S. Luís e o nosso tempo”, de Oliveira Ramos, continua sem previsão de data.
A abrir estas conferências, estará D. Frei Geraldo. Geraldo Dias nasce a 17 de setembro de 1934 em S. Tiago de Lordelo, Guimarães. Dali segue para o Mosteiro de Singeverga, Santo Tirso, onde se dedica aos estudos humanísticos e filosófico-religiosos. Faz profissão como monge beneditino a 01 de outubro de 1951 e, decorridos sete anos, é ordenado sacerdote. Enviado para Roma conclui, em 1960, a licenciatura em Teologia, frequenta o Pontifício Instituto Bíblico, ainda na capital italiana e, no biénio de 1961-1962, faz um estágio bíblico-arqueológico no Studium Biblicum Franciscanum, em Jerusalém. De regresso a Portugal, ocupa vários cargos de destaque na Ordem de S. Bento, leciona no Colégio e Escola Teológica de Singeverga e exerce a função de diretor do Colégio de Lamego. Em 1976, matricula-se no curso de História da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, licenciatura que conclui em 1981. Ali faz o doutoramento, em 1994, e inicia a atividade letiva, sendo a disciplina de maior relevo a de História Comparada das Religiões. De entre os vários estudos publicados, salientamos Filisteus em Canaã: uma cultura desaparecida; Uma relíquia epigráfica dos judeus de Braga; Do sacrifício de Isaac a uma nova teoria do sacrifício; Perspetivas bíblicas da mulher e monaquismo medieval feminino; O Mosteiro de Tibães e a reforma dos beneditinos portugueses no século XVI; e Os beneditinos portugueses e as sequelas da Revolução Francesa na “Arcádia Tibanense”.
 

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts