FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 17 Mai 2016

Ex-delegado de educação do Norte suspenso 50 dias por alegado abuso de poder

Em Viana do Castelo, Aristides Sousa, ex-delegado Regional de Educação do Norte, acaba de ser suspenso das funções de professor durante 50 dias, sem direito […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em Viana do Castelo, Aristides Sousa, ex-delegado Regional de Educação do Norte, acaba de ser suspenso das funções de professor durante 50 dias, sem direito a vencimento, por causa de um processo que está ligado a abuso de poder. O docente foi suspenso de uma escola de Viana, facto confirmado por fontes ligadas ao agrupamento de escolas de Santa Maria Maior.
O processo estará relacionado com funções do docente enquanto delegado regional de Educação do Norte, nada tendo a ver com a escola EB 1,2,3 Frei Bartolomeu dos Mártires, onde Aristides Sousa exerce funções há mais de duas décadas. O processo estará relacionado com a utilização de veículo do Estado a que tinha direito.
Recorde-se que Aristides Sousa foi nomeado delegado regional adjunto da Direção Regional de Educação do Norte entre 2011 e 2015. Este foi um processo disciplinar que foi instaurado ainda pelo anterior Governo, PSD/CDS-PP. Tiago Brandão Rodrigues, atual ministro da educação, apenas assinou o despacho da pena, com base no relatório da Inspeção-Geral da Educação. A pena de suspensão por um prazo de 50 dias começou a ser cumprida a 03 de maio e o agrupamento já abriu concurso para substituir o professor de português.
Aristides Sousa saiu da DREN em fevereiro de 2015 e afirmou, a alguns órgãos de comunicação social, que não fora selecionado no concurso público interno para a escolha dos novos delegados regionais de educação por se ter mostrado contra o facto de nenhuma escola do distrito de Viana ter sido incluída na lista de estabelecimentos de ensino com prioridade elevadíssima na realização de obras de beneficiação no âmbito dos novos fundos comunitários. Na altura, o docente assegurou que não era um “yes, man” e recusou calar-se sobre o assunto, denunciando a exclusão das escolas vianenses. Ao ficar de fora num concurso público interno para a seleção de delegados regionais, posteriormente, o vianense garantiu que o processo não foi devidamente publicitado e indicou falta de rigor do mesmo.
A Rádio Geice FM tentou contactar o visado, mas tal não foi possível, até ao momento.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts