FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 16 Mai 2016

Mulheres no jornalismo em destaque no Auditório da Biblioteca Municipal de Ponte de Lima

A jornalista e investigadora Isabel Ventura apresenta a obra As primeiras mulheres repórteres: Portugal nos anos 60 e 70, esta quarta-feira, pelas 09h30, no Auditório […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A jornalista e investigadora Isabel Ventura apresenta a obra As primeiras mulheres repórteres: Portugal nos anos 60 e 70, esta quarta-feira, pelas 09h30, no Auditório da Biblioteca Municipal de Ponte de Lima. O livro, que decorre da tese de Mestrado da autora em Estudos sobre as Mulheres, pretende dar a conhecer o percurso de seis jornalistas que iniciaram a sua atividade profissional na imprensa escrita no início da década de 60 do século passado, em pleno Estado Novo. São elas Maria Antónia Palla (1933-) – mãe de António Costa e feminista emblemática –Diana Andringa (1947-) – jornalista detida pela PIDE por defender a independência de Angola –Maria Teresa Horta (1937-) – escritora visada na exposição Oito mulheres, oito autoras, patente na Biblioteca Municipal de Ponte de Lima, jornalista e uma das protagonistas do célebre caso das Três-Marias – Edite Soeiro (1934-2009) – uma das primeiras mulheres a ocupar cargos de chefia no jornalismo num período em que essa posição era maioritária e tradicionalmente masculina – Leonor Pinhão (1957-) – jornalista desportiva e coautora do roteiro do filme Um adeus português, do marido e realizador João Botelho – e, finalmente, Alice Vieira (1943-) – jornalista e escritora de renome que experimentou a repressão policial nas lutas estudantis e os cortes da censura no Juvenil, onde trabalhou sem remuneração. Apesar de, atualmente, a realidade nas redações jornalísticas ser diferente – em 1960 havia 10 mulheres nos jornais, quando hoje constituem metade dos seus pares – o evento permitirá à população estudantil do concelho, a uma nova geração de jornalistas e ao público em geral perceber o que foi exercer a profissão num contexto discriminador e repressivo e entender a evolução operada nos órgãos de comunicação social no pós-25 de abril. Isabel Ventura é doutoranda em sociologia na Universidade do Minho e mestre em Estudos sobre as Mulheres, pela Universidade Aberta. É Licenciada em jornalismo, pela Universidade de Coimbra. Desenvolve investigação sobre regulação da sexualidade, crimes sexuais e justiça. É autora de As Primeiras Mulheres Repórteres (Tinta da China).

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts