FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 12 Mai 2016

Socialistas e oposição na Câmara de Viana juntam-se para exigir redução das portagens na A28

Esta quinta-feira, em reunião de executivo, a maioria e a oposição na Câmara Municipal de Viana do Castelo uniu-se para uma tomada de posição conjunta […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Esta quinta-feira, em reunião de executivo, a maioria e a oposição na Câmara Municipal de Viana do Castelo uniu-se para uma tomada de posição conjunta pela defesa da A28. O PS, o PSD e a CDU vão então enviar o pedido para que a autoestrada A28 esteja incluída no projeto de resolução que defende a redução do custo das portagens em várias autoestradas nacionais.
“Houve uma deliberação conjunta de todos os vereadores de todas as forças políticas para ser enviado ao Governo e a todos os grupos parlamentares uma comunicação onde defendemos que é um caso de justiça a isenção ou redução de portagens na A28, visto que estamos numa zona que serve o interior e que é uma zona transfronteiriça”, explicou o autarca José Maria Costa, pedindo também a relocalização do pórtico na Zona Industrial de Neiva. O executivo da Câmara de Viana fará ainda um ”pedido urgente” de reunião aos grupos parlamentares, onde os três partidos se farão representar.
A questão foi levantada logo no início da reunião ordinária pelo autarca, que indicou continuar a fazer “diligências” para conseguir uma redução dos custos das portagens na autoestrada A28, que liga Viana do Castelo ao Porto. “As portagens causam imenso transtorno e geraram, em alguns setores e empresas, quebras na ordem dos 40%”, indicou o socialista, revelando que o concelho tem perdido “muita clientela” e que as portagens estão a “prejudicar o trabalho feito na construção dos nossos parques empresariais”.
O autarca explicou que a A28 “é a portagem mais cara do país” e iniciou uma discussão com a CDU quando disse ter ficado “espantando” ao ver que no projeto de resolução que foi apresentando pelo PCP e pelo Bloco de Esquerda na Assembleia da República a A28 não foi incluída “no pacote das portagens apresentadas para redução”. Ilda Figueiredo, eleita pela CDU, respondeu que tal não aconteceu “porque o PS disse logo que votava contra a proposta”.
José Maria Costa insistiu na questão dizendo que “precisamos de saber concretamente quem está do lado do Alto Minho e que está contra”. A vereadora da CDU explicou que “o PCP e a CDU continuam a considerar que a A28 e outras vias idênticas nas ex-Scuts devem estar incluídas na redução ou até no fim do pagamento das portagens”.
O socialista respondeu então que “estou a ver que o seu partido e o seu comité central a desautorizou e não ligou aos seus pedidos, a sua voz não importou”. A crítica não caiu bem a Ilda Figueiredo, respondendo que “é como a sua voz, que pelos vistos não vale nada”. José Maria Costa indicou então que “comeram queijo e esqueceram-se, só veem o Algarve”, tendo a vereadora da oposição dito que “se eu não estivesse a viver este momento e mo contassem, eu não acreditava, dizia que não era verdade”. Aos jornalistas, no final do encontro, Ilda Figueiredo reafirmou que continua a lutar contra as portagens e referiu os “aspetos caricatos” da discussão.
Eduardo Teixeira, do PSD, interveio para “lamentar” a “forma de funcionar da geringonça”, indicando a troca de acusações entre o autarca e a vereadora. Aos jornalistas, disse que o PSD foi o único que “fez trabalho nesta matéria”, impedindo a introdução de portagens até Ponte de Lima e até Arcos de Valdevez.
Para fechar a questão, José Maria Costa pediu para que aprovassem, de forma conjunta, a declaração onde pedem a inclusão da A28 na lista de portagens a serem reduzidas e a relocalização do pórtico da Zona Industrial de Neiva, pedido que será agora enviado ao Governo e aos grupos parlamentares.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts