FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 16 Jun 2016

Moradores e comerciantes do Largo 9 de Abril magoados com “vandalismo” nas bandeiras de Portugal

Esta quinta-feira, os moradores e comerciantes do Largo 9 de Abril, conhecido por BC9, em Viana do Castelo, foram surpreendidos por atos de vandalismo em […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Esta quinta-feira, os moradores e comerciantes do Largo 9 de Abril, conhecido por BC9, em Viana do Castelo, foram surpreendidos por atos de vandalismo em torno de uma homenagem à seleção portuguesa de futebol. No largo, um grupo de pessoas juntou-se para adquirir 20 bandeiras de Portugal, para decorar a fachada de um prédio, mas “atos de vandalismo” permitiram que o apoio durasse pouco.
As bandeiras foram instaladas uma primeira vez no dia em que Portugal defrontou a Islândia e, logo nessa noite, duas foram arrancadas. Os moradores e comerciantes voltaram a prendê-las, redecorando a fachada, mas a faixa de bandeiras foi novamente destruída e cerca de 8 bandeiras foram roubadas na segunda noite. Joca, reconhecido fotógrafo da cidade de Viana, explicou à Geice que “para apoiar a seleção resolvemos pôr a parte da frente do prédio com bandeiras, cerca de vinte bandeiras”. Assume que “ficou espetacular, estava bonito, mas logo na primeira noite rebentaram o trabalho e roubaram duas”. Moradores e comerciantes voltaram a compor tudo, mas agora foram “surpreendidos com este espetáculo, porque destruíram tudo e levaram à volta de 8 bandeiras”.
Na rua, era possível ouvir comentários diversos sobre estes atos. “É uma tristeza, não têm mesmo respeito por nada”, considerou uma senhora, que passou na rua e viu a faixa de bandeiras destruídas.
Joca explica que “destruíram por destruir, o que “não dá para entender”,. Para os responsáveis, o facto de estarem a destruir bandeiras nacionais é uma clara falta de respeito. “É uma questão de orgulho, é a nossa bandeira”, criticou, dizendo que “todo este vandalismo é um desrespeito pela nossa bandeira”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts