FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 09 Jun 2016

CARTAZ OFICIAL: Designer brasileira criou cartaz oficial da Romaria d’Agonia 2016

O concurso para a conceção do cartaz oficial da Romaria em Honra de Nossa Senhora d’Agonia, festas principais do concelho de Viana do Castelo, foi […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O concurso para a conceção do cartaz oficial da Romaria em Honra de Nossa Senhora d’Agonia, festas principais do concelho de Viana do Castelo, foi ganho por uma designer de moda do Rio de Janeiro e de ascendência portuguesa. O cartaz da Romaria da Agonia passa assim as fronteiras de Portugal para contar pela primeira vez com inspiração internacional e um sotaque do Brasil. Também a mordoma do cartaz é natural daquela cidade brasileira, com família em Monção. O cartaz foi oficialmente apresentado esta quinta-feira, mas nem mordoma nem autora estiveram presentes, devido à distância.
Anna Galvão, a autora do cartaz vencedor, e Bárbara Temporão, a mordoma que o ilustra, pertencem ao Rancho Folclórico José Ferreira Vaz, na cidade de Niterói. Em comum, para além da amizade, têm a paixão pelas tradições do Alto Minho e a admiração pela rainha das romarias de Portugal. A surpresa da edição de 2016 começou com a mãe da Anna Galvão, que, sabendo da sua paixão pelo design e pelo folclore, lhe lançou o desafio, depois de ter tido conhecimento, através da internet, da abertura do concurso.
Quanto ao cartaz é uma ilustração da imagem de Nossa Senhora da Agonia, padroeira dos pescadores.“Ressaltei principalmente a questão artesanal da cultura e tradições portuguesas: o bordado de Viana, no título, no trabalho de confecionar um cesto a ilustração feita à mão, as flores, remetendo à relação da lavradeira com a natureza. Também lembro as ‘Brumas da memória’ do Hino Nacional Português, e a questão dos pescadores terem a senhora da Agonia como sua padroeira”, explicou Anna Galvão, a designer de 22 anos, filha de madeirenses.
Apesar de só ter conhecido Viana do Castelo em 2015, há um ‘pormenor’ de inspiração no povo que não lhe faltou ao cartaz: “A alegria e o amor às romarias e arraiais portugueses”. Ansiosa por ver de perto “o esplendor da Romaria da Agonia”, Anna Galvão conta que o contacto com o folclore mudou a sua vida e despertou o interesse pela região do Alto Minho e sobretudo pela festa minhota. Ainda surpreendida por ter vencido o concurso, já está a preparar a viagem a Viana do Castelo, em agosto: ”Fiquei bastante surpresa, pois não imaginava”, afirmou, dizendo estar “sem palavras, mas com um sentimento caloroso de orgulho e emoção”.
Para Bárbara Temporão, de 19 anos e estudante de direito, as festas já não são novidade, mas ser a cara do cartaz da romaria é a realização de um sonho. Os pais são portugueses e a família materna natural de Monção, distrito de Viana do Castelo. “Tenho verdadeiro amor pelas tradições portuguesas e a Romaria da Senhora da Agonia é a sua real personificação, pois enaltece a cultura que tanto me orgulho. Sinto-me muito radiante e feliz por terem-me dado o grande privilégio de ser a Mordoma”, conta.
A mordoma ilustrada no cartaz apresenta um Traje de Domingar, na cor azul, que foi adquirido em Viana do Castelo numa das suas férias em Portugal. O ouro que enverga na imagem do cartaz é de valor sentimental, por ser emprestado por familiares e amigos.
Recorde-se que, segundo indicava o regulamento do concurso, as propostas deveriam incluir uma “imagem da Capela da Senhora d’Agonia ou da Santa”. Numa clara tentativa de valorizar a origem religiosa da Romaria das Romarias, o regulamento, criado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, VianaFestas e Comissão de Festas, afirmava também que as propostas deveriam expressar “a beleza da Mulher de Viana, ostentando os diversos trajes”, “o espírito da Romaria da Senhora d’ Agonia cuja antiguidade nos leva à primeira década do Século XX”, e “a alegria e a vida que caracterizam a Romaria das Romarias de Portugal”.
Nos critérios de avaliação, o júri, composto por sete elementos de entidades de Viana do Castelo, premiou a “adequação e eficácia da mensagem ao tema do concurso, a originalidade e criatividade”, bem como “a qualidade técnica e estética”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts