FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 02 Jun 2016

Ponte da Barca mais perto de concretizar o sonho de ter um Museu de Electricidade: Gestão da Central de Paradamonte vai ser entregue à autarquia

A gestão da Central Hidroelétrica de Paradamonte vai ser entregue à Câmara Municipal de Ponte da Barca. Objetivo passa por valorizar o equipamento de modo […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A gestão da Central Hidroelétrica de Paradamonte vai ser entregue à Câmara Municipal de Ponte da Barca. Objetivo passa por valorizar o equipamento de modo a convertê-lo também num ponto estratégico da aposta turística que a autarquia tem vindo a dinamizar no concelho. O executivo municipal aprovou, na última reunião de Câmara, a minuta do protocolo que vai ser celebrado com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a EDP, de cedência do edifício da Central Hidroelétrica de Paradamonte à Câmara Municipal de Ponte da Barca. De acordo com o autarca barquense, Vassalo Abreu, “é intenção da Câmara valorizar o equipamento de modo a convertê-lo também numa ponto estratégico da aposta turística que a autarquia tem vindo a dinamizar no concelho.” Até porque naquele espaço estão as mais antigas máquinas de produção de energia do país, uma das quais já com 99 anos. A Central de Paradamonte é um ícone da arqueologia industrial de Portugal e com esta cedência, é desejo da população e da autarquia que possa renascer enquanto unidade interpretativa do antigo ciclo produtivo, a par das iniciativas já desenvolvidas no âmbito do Percurso da Hidroelectricidade e das visitas guiadas à Barragem de Alto Lindoso, numa parceria entre a EDP e o Município. Pretende-se enfatizar a exploração da água e as suas marcas no território com elevado potencial turístico, explicando ao visitante como decorria todo o processo de produção eléctrica (desde a captação da água, à sua condução e posterior aproveitamento energético), levando-o a percorrer não só a Central mas as suas estruturas complementares industriais (poços, levadas, linhas) e ainda percorrer o lugar de Paradamonte e conhecer as infra-estruturas de apoio social e cultural da aldeia. Com a criação desta unidade interpretativa a autarquia pretende ainda inseri-la na Rede Interpretativa do Património de Ponte da Barca, consolidada nos anos de 2014-2015 e que agrega, em sistema de complementaridade, o Centro Interpretativo do Património “Fernão de Magalhães” e o Núcleo Expositivo da Torre de Menagem do Castelo de Lindoso, numa simbiose de estratégias de índole patrimonial, ambiental e turística.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts