FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 27 Jul 2016

ALAAR apresenta queixa-crime contra desconhecidos para descobrir quem queimou cadela com ácido

A ALAAR – Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua acaba de anunciar que vai apresentar queixa-crime contra desconhecidos para tentar descobrir quem queimou […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A ALAAR – Associação Limiana dos Amigos dos Animais de Rua acaba de anunciar que vai apresentar queixa-crime contra desconhecidos para tentar descobrir quem queimou uma cadela com ácido corrosivo, há alguns dias. Tal como a Geice divulgou, a associação que resgata e recolhe animais de rua deparou-se com uma cadela que foi atacada enquanto dormia com ácido no passado dia 15 de julho, deixando o animal com quase 50% do lombo afetado.
Explica a ALAAR que a Petra, nome dado à cadela, “apareceu abandonada numa zona perto de Ponte de Lima onde todos os dias passa muita gente” e se abrigou “num edifício e aí começou a procurar comida e contato humano”. “Tivemos conhecimento do caso e como temos o abrigo cheio, fizemos a sua divulgação e conseguimos uma família de acolhimento”, indica a ALAAR. No entanto, no dia em que foram buscar a cadela para a levarem para a família de acolhimento, esta “tinha uma espécie de cola no pêlo”. A associação levou o animal para a clínica veterinária com a qual colabora e a cadela começou a piorar “a olhos vistos, minuto a minuto”. Depois de analisada, foi verificado que a Petra “foi alvo de um ataque sórdido e premeditado, criminoso e ilegal, cobarde e mesquinho” com ácido corrosivo.
Agora, a associação limiana avança com a queixa-crime para “tentar apurar a verdade dos factos e chamar os criminosos à justiça”. “Embora o animal esteja estável, foi sujeito a um sofrimento imenso e inusitado e não há qualquer justificação para o ato premeditado, sendo que no local já todos sabiam que a Associação iria recolhê-lo. A Associação solicita a todas as pessoas de bem e residentes no local com conhecimento da ocorrência que prestem informações relevantes para o apuramento dos factos, mesmo de forma anónima, podendo contatar a página do Facebook ou email da associação”, solicita a ALAAR. “Caros amigos, não basta a indignação, é necessária a acção”, vaticina a associação.
Para ajudar ou mais informações: https://www.facebook.com/ALAAR.PontedeLima/
E-mail: alaarpl@gmail.com

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts