FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 19 Jul 2016

CIM Alto Minho e IAPMEI juntam-se a 174 empresas líderes para estimular economia em projeto piloto

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho assinou esta terça-feira um protocolo com o IAPMEI e 174 PME’s Líder da região para estimular a economia […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho assinou esta terça-feira um protocolo com o IAPMEI e 174 PME’s Líder da região para estimular a economia local. Este é um projeto piloto da IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, que começa agora no Alto Minho, e que pretende “arrastar” outras empresas para a liderança existente nestas empresas galardoadas.
Victor Mendes, vice-presidente da CIM Alto Minho, explicou que “estamos a trabalhar pela nossa economia e a reconhecer o mérito de pequenas e médias empresas que são uma referência”. “Para nós é muito gratificante entregar estes certificados de reconhecimento e de mérito e é importante que estas 174 empresas se afirmem como exemplos para outras empresas”, referiu o também autarca de Ponte de Lima. Para o representante da Comunidade Intermunicipal diz que este protocolo quer fazer “com que as nossas empresas possam ser melhores na área da formação, da gestão, competitividade, na procura de novos mercados e na internacionalização”.
“Quem gera riqueza, quem cria emprego e gera economia são os nossos empresários e as nossas empresas”, declarou Victor Mendes, antes da cerimónia de homenagem às 174 PME’s Líder, que aconteceu no Auditório Prof. Lima de Carvalho do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.
Júlio Pereira, também da CIM do Alto Minho, assegurou que o Alto Minho trabalha com um mercado de proximidade com mais de 3 milhões de pessoas e que tem uma “notável rede regional de inovação, investigação e desenvolvimento tecnológico” que inclui setores de especialização com elevada intensidade tecnológica e potencial de internacionalização (componentes automóveis; mecânica e metalomecânica; economia de mar; energia; florestal, madeira e mobiliário; agroalimentar e vitivinicultura; turismo).
Indicou que as 174 empresas PME Líder representam 2,4% do total nacional das empresas distinguidas e mobilizam cerca de 5.300 empregos. Globalmente, as empresas geram 750 milhões de euros de volume de negócios e contribuem com 180 milhões para as exportações nacionais. O comércio é o setor com mais PME’s Líder, num total de 76 galardoados, seguido da indústria, com 45, e a construção, com 16 empresas.
Ana Rodrigues, do IAPMEI, dirigiu-se aos empresários presentes na sala para dizer que “o que queremos é que participem ativamente, repercutindo o vosso sucesso, no sucesso mais alargado da vossa comunidade”. “Sendo líderes de pelotão, é evidente que desejamos que se mantenham, também neste desafio, na dianteira”, realçou a responsável.
Explicou depois a representante do IAPMEI que a Agência para a Competitividade e Inovação está a lançar o Observatório PME Líder e que ”muito em breve” vai solicitar “a algumas empresas do Alto Minho” que participem no teste de inquérito que vão fazer. O objetivo é “aferir as caraterísticas comuns” aos líderes e “perceber os constrangimentos e oportunidades de desenvolvimento” dos negócios, identificando “necessidades sentidas e ainda não respondidas”. O IAPMEI está também a lançar uma rede de redes locais Mulher Líder. Ana Rodrigues explicou que vão trabalhar para “aumentar a diversidade de género nos lugares de liderança” e que, para tal, vão solicitar à Comunidade do Alto Minho que ajude a identificar casos emblemáticos de participação feminina na gestão de topo de empresas PME Líder.
Luís Ceia, do CEVAL – Confederação Empresarial do Alto Minho, destacou “a coragem, o risco, a capacidade de resistência e resiliência” das empresas líder da região, tendo em conta “o período particularmente difícil” que o país tem atravessado.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts