FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 11 Ago 2016

Apelo à atração de população: Vai abrir o período de discussão pública da proposta de revisão do PDM de Caminha

A proposta de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) prepara o concelho para um crescimento substancial, sem comprometer as condições que garantem a qualidade de […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A proposta de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) prepara o concelho para um crescimento substancial, sem comprometer as condições que garantem a qualidade de vida e a sustentabilidade do território de Caminha. A discussão pública é a fase seguinte e foi aprovada, por unanimidade, em reunião do Executivo. O PDM de Caminha tem mais de duas décadas e devia ter sido revisto há 10 anos, tendo sido assumido pelo Executivo atual como prioridade, uma vez que está em causa a própria estratégia para o concelho. “Trabalhamos numa proposta de PDM que apela à atração da população. Queremos estagnar a perda populacional e criar condições para que as pessoas queiram não só viver em Caminha, mas para que encontrem aqui condições para isso”, referiu o presidente da Câmara, Miguel Alves, comentando as caraterísticas que nortearam o trabalho da equipa que elaborou o documento. A Câmara optou por uma equipa técnica interna, coordenada pelo vice-presidente, Guilherme Lagido, profundo conhecedor deste tipo de processos. Guilherme Lagido sublinhou mesmo que todas as juntas se empenharam e fizeram propostas, tendo sido acolhidos cerca de três quartos delas, entre as que não chocavam com as restrições legais. Esta é, portanto, uma proposta fortemente participada, uma vez que foi alvo de reuniões com todas as juntas, que trabalharam o documento como entenderam, com as suas populações, durante cerca de um ano. Resultou desta participação uma valorização clara da proposta final, conforme frisou Guilherme Lagido. Como também explicou o vice-presidente da Câmara, o território de Caminha é fortemente condicionado em termos de áreas que são reserva em matéria ambiental. No entanto, foi possível preparar a parte urbana para um crescimento que poderá quase duplicar a população, disponibilizando mais de cem hectares nesta área em relação ao anterior PDM. Caminha poderá assim receber, nos próximos dez anos, cerca de 10 mil habitantes mais. De referir também a preocupação de ampliar a parte industrial, Na Gelfa e em Vilar de Mouros, tendo em consideração a proximidade com o porto de Leixões e as acessibilidades.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts