FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 14 Ago 2016

Memória do Exército português disponível na Internet

O Arquivo Histórico Militar está ao dispor do público numa nova plataforma, em https://arqhist.exercito.pt. Este projeto envolve a Keep Solutions, spin-off da Universidade do Minho, responsável […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Arquivo Histórico Militar está ao dispor do público numa nova plataforma, em https://arqhist.exercito.pt. Este projeto envolve a Keep Solutions, spin-off da Universidade do Minho, responsável pelo software (Archeevo) que gere e preserva os conteúdos. A modernização surge num contexto de constante mudança tecnológica, para satisfazer diferentes tipos de público, bem como maiores e mais exigentes necessidades de informação. Qualquer cidadão pode consultar online os fundos do Arquivo, os quais contêm informação alusiva a relatórios e cartografias dos teatros de operações, baixas de guerra, projetos contra agressões externas, inimigos presos, correspondência pessoal e institucional, autos sobre conduta das tropas, materiais e veículos utilizados, milhares de fotos (desde figuras ilustres a soldados), propaganda pitoresca das Colónias/Ultramar e registos satíricos, entre outros. O maior e mais requisitado fundo é o do Corpo Expedicionário Português (CEP), o grupo enviado para França na I Guerra Mundial há precisamente um século. Inclui 74 mil boletins individuais de oficiais, sargentos e praças, o “Livro de Mortes por Concelho” (muito consultado por municípios), mas também a troca de informações com países aliados, a preparação militar em Tancos ou a pesada derrota em La Lys. O subdiretor do Arquivo Histórico Militar, Capitão Cunha Roberto, considera a aplicação informática “imprescindível para o acesso e a recuperação dos fundos do Arquivo e para a disponibilização e divulgação da memória do Exército e de Portugal”. “É essencial que os softwares de gestão de informação, além de cumprirem o conjunto normativo de descrição, disponibilização e preservação dos objetos digitais, acrescentem mais-valias que respondam efetivamente às necessidades das pesquisas dos utilizadores e de quem trabalha no backoffice”, acrescenta. A ferramenta permite uma leitura rápida, eficaz e descentralizada dos documentos, bem como a preservação destes, evitando assim o seu excessivo manuseamento e reprodução. Permite também uma maior agilidade para cruzar fontes e explorar novas temáticas de estudo.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts