FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 14 Set 2016

União de Sindicatos denuncia: Ancorensis tenta “escapar-se” ao pagamento de indeminização a 57 funcionários

O encerramento da Cooperativa de Ensino Ancorensis ainda vai dar muito que falar, tudo por causa da situação em que ficaram 27 funcionários não docentes […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O encerramento da Cooperativa de Ensino Ancorensis ainda vai dar muito que falar, tudo por causa da situação em que ficaram 27 funcionários não docentes e 30 docentes. No final de Julho a Direção garantiu aos sindicatos que o ano letivo iria arrancar com 11 turmas de continuidade, embora fosse previsível uma redução de pessoal. Ter-se-á comprometido a durante o mês de agosto fazer a negociação desses despedimentos. Mas no fim de agosto, todos foram surpreendidos com o comunicado dirigido aos encarregados de educação dando conta do encerramento da escola. Todos os funcionários ficaram a saber do seu futuro pelas redes sociais. Desde essa data foi depois comunicado o despedimento coletivo, situação essa que agora volta a mudar de figura. De acordo com Ludovina Sousa, a Coordenadora da União de Sindicatos de Viana do Castelo, a intenção da Ancorensis passa agora por despedir os trabalhadores sem lhes pagar a devida indeminização. Estranho, diz a União de Sindicatos, é a Ancorensis afirmar que vai dar entrada com um pedido especial de revitalização da empresa quando, na verdade, a sua real atividade está totalmente parada. De resto, e relativamente aos despedimentos, Ludovina Sousa confirma que “já não há volta a dar”. No entanto garante que, a manter-se a intenção de não pagar as indeminizações e os salários do mês de setembro, este é um processo que vai certamente partir para o contencioso. Refira-se que a mais “jovem” funcionária” da Ancorensis já lá trabalha há 18 anos.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts