FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 22 Dez 2016

Melgaço: Gaitas de foles e queimadas vão queimar o ano velho em Castro Laboreiro

Para preparar a entrada no novo ano, o povo de Castro Laboreiro, concelho de Melgaço, sai à rua entre gaitas de foles e queimadas. A […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Para preparar a entrada no novo ano, o povo de Castro Laboreiro, concelho de Melgaço, sai à rua entre gaitas de foles e queimadas. A ‘Queima do Ano Velho’ vai animar a terra castreja no dia 30 de dezembro, num evento com início às 23h00, junto ao Posto de Turismo de Castro, e que promete ser um encontro de culturas e de gerações, com um pequeno cortejo do Ano Velho com os Gaiteiros da Lobeira pelas ruas de Castro Laboreiro rumo ao Centro Cívico, onde será queimado o Ano Velho em jeito de despedida.
A iniciativa partiu de Sónia Nogueira, administradora da página facebook.com/turismopnpg e doutorada em Marketing, e tem o apoio da Câmara Municipal de Melgaço e da Junta de Freguesia de Castro Laboreiro e Lamas de Mouro. A responsável explica que “na esperança de um ano melhor queima-se a figura do pai velho e deixam-se votos de um excelente 2017”. O objetivo é “dar a conhecer os locais que compõem o Parque Nacional Peneda-Gerês, incentivando à cooperação entre diferentes stakeholders (partes interessadas) num esforço conjunto de promoção do turismo da região”. A ideia é também “recuperar tradições e rituais de tempos remotos, incentivando à participação quer de turistas quer de gentes da terra”.
Castro Laboreiro é uma das localidades mais emblemáticas do Parque Nacional Peneda-Gerês. A freguesia está localizada no planalto com o mesmo nome, em plena serra da Peneda, numa extensa área dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês, distando vinte e cinco quilómetros da sede do concelho.
A aldeia possui ainda um milenar e riquíssimo legado histórico, arqueológico e arquitetónico, designadamente os monumentos megalíticos, o Castelo de Castro Laboreiro (classificado como monumento nacional), as pontes e igrejas medievais, os fornos comunitários, os moinhos, a atividade agro-pastoril e as singulares brandas, inverneiras e lugares fixos, testemunhos, também aqui, da prática da transumância.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts