FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 04 Jan 2017

Câmara de Caminha executa trabalhos de prevenção contra incêndios junto ao Mosteiro de São João d’Arga

Na envolvente do Mosteiro de São João d’Arga a Câmara Municipal de Caminha está a executar trabalhos de limpeza e corte de vegetação que têm […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Na envolvente do Mosteiro de São João d’Arga a Câmara Municipal de Caminha está a executar trabalhos de limpeza e corte de vegetação que têm como objetivo proteger o espaço dos incêndios florestais. Estes trabalhos estão a ser realizados pela Equipa Municipal de Proteção Florestal, constituída por 4 elementos no âmbito de uma candidatura efetuada pelo município ao Programa Social para as Florestas do IEFP – Instituto do Emprego e Formação Profissional. A atividade da equipa centra-se na execução de silvicultura preventiva, podendo, no entanto, desempenhar ações de vigilância florestal nos períodos de alerta e apoiar, em caso de necessidade, ações de rescaldo e vigilância pós incêndio.
A autarquia caminhense quer assim desenvolver ações de prevenção da floresta contra incêndios no inverno, de modo a minimizar os efeitos dos possíveis incêndios florestais no verão, indicando que este é também o período indicado para os cidadãos efetuarem as limpezas das faixas de proteção contra incêndios em redor das edificações.
Para além da proteção do edificado, esta ação de limpeza e corte de vegetação visa criar uma faixa de proteção para a Romaria de São João d’Arga, que se realiza em pleno mês de agosto, ou seja, durante o Período Crítico, altura em que este tipo de trabalhos é condicionado ou até mesmo proibido se o risco meteorológico de incêndio for elevado.
No âmbito da prevenção da floresta contra incêndios, o município de Caminha submeteu uma candidatura ao POSEUR que visa a instalação de Redes de Defesa da Floresta Contra Incêndios. Trata-se de um investimento de 577 mil euros, financiado a 85% pelo FEDER. Esta operação tem como objetivos aumentar a resiliência do território florestal ao risco de incêndio florestal; a diminuição da área percorrida por grandes incêndios florestais; criar oportunidades de apoio ao combate a eventuais incêndios florestais; a alteração do regime de fogo do concelho e ainda a recuperação silvo pastoril do território, que se reveste de enorme importância para as populações de montanha.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts