FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 06 Jan 2017

Câmara de Viana aprova voto de pesar pelo falecimento de Eduardo Calvet de Magalhães

A Câmara Municipal de Viana do Castelo aprovou, esta quinta-feira, um voto de pesar pelo falecimento de Eduardo Calvet Magalhães, cidadão de mérito de Viana […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A Câmara Municipal de Viana do Castelo aprovou, esta quinta-feira, um voto de pesar pelo falecimento de Eduardo Calvet Magalhães, cidadão de mérito de Viana homenageado em 2014 pelos relevantes serviços prestados ao ensino, artes plásticas e cultura. Calvet Magalhães nasceu em Lisboa mas radicou-se em Viana do Castelo após a Revolução dos Cravos, onde marcou a vida social e cultural do concelho.
“Com a sua morte, deixa uma marca indelével na vida do concelho, pelo que proponho que seja registado um voto de pesar pelo seu desaparecimento, manifestando o profundo pesar e a grande consternação e expressando toda a sua solidariedade à sua família”, lê-se no voto apresentado pelo autarca José Maria Costa aprovado por unanimidade.
Iniciou-se na pintura a óleo e na serigrafia, tendo obtido o Prémio Nacional de Pintura “Amadeo de Souza Cardoso” (1943), mas acabaria por dedicar-se ao design gráfico e as artes gráficas. Foi um dos pioneiros portugueses da banda desenhada infantil, tendo colaborado nos jornais infantis “O Senhor Doutor”. “TIC-TAC”, “Mosquito”, “RIM-TIM-TIM”, “Mickey”, paginador do “Diabrete” e responsável gráfico e organizador de “O Pirilau” e do jornal universitário “Horizonte” (1942-1943). Colaborou ainda graficamente no lançamento do “Diário Popular” e do diário dos desportos “A Baliza”.
Criou, com Jaime Cortesão Casimiro, a Editorial Confluência (1942) que lançou à estampa a primeira antologia de Fernando Pessoa. Organizou e lançou, em 1946, o jornal das artes “Horizonte”. Organizou, com António Sena da Silva, no Instituto Superior Técnico, a l Exposição das Miniaturas Ferroviárias por ocasião do I Centenário dos Caminhos-de-ferro Portugueses (1952) e ganhou em parceria com António Sena da Silva, dois primeiros prémios no Concurso de Cartazes para a Campanha de Educação de Adultos (1954). Recebeu os 1ºs prémios de Penrose Annual-Londres-1956 e 1961 para as melhores fotografias gráficas e o 1º Prémio do Concurso Internacional de Montras do Centenário de Hans Cristian Andersen, em parceria com António Alfredo e sua mulher Delfina Frade de Sousa, tendo ainda participado em algumas exposições relevantes.
 

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts