FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 24 Jan 2017

UMinho premiada por veículo de venda ambulante inovador

Cinco alunos da Escola de Engenharia da Universidade do Minho venceram um concurso nacional por criarem um veículo de venda ambulante inovador. O protótipo, destinado […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Cinco alunos da Escola de Engenharia da Universidade do Minho venceram um concurso nacional por criarem um veículo de venda ambulante inovador. O protótipo, destinado à venda de gelados, distingue-se por ser autónomo, ecológico, interativo e adaptado a vários contextos. O projeto da UMinho superou os que foram apresentados pelas universidades do Lisboa, Porto e Aveiro, também desafiadas para o concurso “Sou Olá”, pela Unilever. Os alunos Vera Neto, Pedro Faria, Nuno Ferreira e Luís Silva, de Engenharia Mecânica, e Fábio Ribeiro, de Engenharia de Polímeros, receberam 10.000 euros de prémio, incluindo uma viagem para um destino à escolha. Os cinco conceberam e construíram “um meio de venda móvel do futuro”. As principais inovações são a capacidade de manter a arca refrigerada, a colocação de mais gelados por metro cúbico (em radial), a tampa de acesso rápido a produtos, a aplicação móvel (app) para interagir com clientes ou gerir stocks e cobranças e, ainda, o painel solar que serve para iluminar o veículo e carregar a bateria do tablet que contém a app. O veículo de 2.2 por 1.3 metros pode também ser desdobrado como “carrinho” (push cart). A equipa procurou assim resolver várias fragilidades que têm os veículos atuais. O protótipo foi testado em agosto no centro de Braga. As pessoas gostaram sobretudo do design, da aplicação para pedidos e pagamentos, bem como do uso da energia renovável e não depender de motor de apoio”, destacam os autores, no relatório de 130 páginas. Nos aspetos a melhorar está o peso do bólide. Os alunos promotores consideraram o concurso “uma ótima oportunidade” para o contacto real com o mercado e para a criação de um projeto académico de investigação, que incorpora tendências tecnológicas e pode vir a ser implementado. “Ganhámos conhecimentos técnicos, redes de contactos e muitas competências, desde estar com fornecedores, resolver dificuldades imprevistas, lidar com objetivos exigentes, ter deadlines apertados, trabalhar em equipa e saber comunicar, o que nos permite preparar para o futuro profissional”, refere a aluna Vera Neto. O projeto foi orientado pelos professores Pedro Lobarinhas e João Pedro Mendonça, do Departamento de Engenharia Mecânica da UMinho.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts