FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 17 Mar 2017

Alto Minho já está a executar 28 obras com os 150 milhões de euros de fundos disponíveis

Para o Alto Minho, o Portugal 2020 tem destinados mais de 150 milhões de euros, verba disponível para a “construção de escolas, requalificação de unidades […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Para o Alto Minho, o Portugal 2020 tem destinados mais de 150 milhões de euros, verba disponível para a “construção de escolas, requalificação de unidades de saúde, património histórico, património natural”, para além de projetos de “requalificação e regeneração” urbana, assegurou esta sexta-feira, em Viana do Castelo, o Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão. Nélson Sousa assegurou, durante uma sessão na Biblioteca Municipal vianense, que do total da verba destinada ao distrito vianense, cerca de 30 milhões de euros já estão em adjudicação, com 28 obras já em curso pelo Alto Minho. “Estão em curso 28 obras no Alto Minho, que somam e que representam perto de 30 milhões de adjudicações em diversos locais desta Comunidade Intermunicipal (CIM)”, frisou.

Existem 95 milhões de euros de projetos já aprovados, mas a região poderá usufruir de mais 60 milhões, até ao total de 155 milhões de euros, para “serem aplicados em projetos diferentes”. “Esta região está a utilizar muito bem esta oportunidade de aplicação de fundos estruturais. Até agora, já tem 95 milhões de euros de projetos aprovados. São projetos de construção de escolas, de requalificação de unidades de saúde, de requalificação de património histórico, de dinamização e de divulgação de património natural. São também projetos de requalificação, de revitalização, de regeneração dos nossos espaços urbanos”, indicou o secretário de Estado.

O Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, garantiu que Viana do Castelo tem “um dos centros históricos mais espetaculares do país”, referindo que o centro vianense “é hoje polo de atração turística e polo de criação de emprego”. Elogiou o executivo pela “coerência” no investimento feito na reabilitação urbana, destacando o “muito investimento privado que tem sido fruto das boas estratégias da autarquia”, assegurando que são “boas razões para os vianenses estarem felizes com o seu presente”.

Já José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, aproveitou a visita do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, acompanhado por uma comitiva, para evidenciar a aposta do executivo vianense na reabilitação urbana. Recordou que o projeto de reabilitação vianense foi iniciado em 2011, com os primeiros incentivos e isenções de taxas no centro histórico, tendo em julho de 2013 sido publicada a ARU – Área de Reabilitação Urbana do centro histórico.

O autarca vianense realçou o facto de entre 2011 e 2015 o crescimento das operações de reabilitação ter sido na ordem dos 54%, com as operações de 2016 crescido 19% face ao ano anterior. Destacou ainda o facto de o investimento privado de 2013 a 2016 ter sido de 20 milhões de euros na reabilitação urbana, indicando que o setor do Turismo apresentou 5 novos alojamentos turísticos na ARU do centro histórico.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts