FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 05 Abr 2017

Mordomo da Cruz de Fontão espera servir mais de 500 pessoas no domingo de Páscoa

Pedro Pinto é engenheiro de profissão e, este ano, é também o mordomo da Cruz em Fontão, no concelho de Ponte de Lima, tendo pela […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Pedro Pinto é engenheiro de profissão e, este ano, é também o mordomo da Cruz em Fontão, no concelho de Ponte de Lima, tendo pela frente a difícil mas honrosa tarefa de preparar o almoço de Páscoa para toda a freguesia. À Geice, disse ter já a confirmação de mais de 450 populares, mas ainda faltam convidar algumas dezenas. “De acordo com a tradição, o mordomo da cruz do ano a decorrer tem de convidar toda a população fontanense, porta a porta. A população de Fontão está a aderir em muita quantidade, neste momento já vamos em 457 pessoas confirmadas, mas ainda me faltam convidar cerca de 80 pessoas. Conto ter dentro da tenda pascal mais de 500 pessoas”, indicou o mordomo.

Pedro Pinto tem 47 anos, é engenheiro na Câmara Municipal de Ponte de Lima, e reconhece que este é um trabalho “que já começou há alguns meses”. “Primeiro tem de se definir o local da tenda pascal. Diz a tradição que o almoço deve ser servido numa tenda, num terreno do mordomo, se ele tiver condições. No meu caso, não consegui, pois apesar de o meu terreno ter espaço, é inclinado, pelo que pedi emprestado o terreno a um amigo. (…) Depois tem de se limpar o terreno, preparar o terreno, e então começa-se a pensar na refeição”, refere, dizendo que terão “umas entradinhas muito simples, canja de galinha velha, filetes de pescada, a vitela e o famoso cabrito”. Será ainda servido o “famoso Bolo de Páscoa”, com 50 quilos, para além de outras sobremesas e o habitual café no final.

O almoço de Páscoa começa pelas 13h30 de domingo, 16 de abril, e prolonga-se por três horas. Para o almoço estão já garantidas 300 garrafas de vinho maduro, 200 garrafas de vinho maduro tinto, 200 de verde tinto, 100 de branco verde e várias centenas de garrafas de água e refrigerantes.

O mordomo diz que esta é uma missão que vai custar à volta de 25 mil euros, mas garante que toda a freguesia gosta de contribuir para o evento, seja com donativos, amizade ou ajuda física. Outra das tarefas do mordomo é assegurar, durante um ano, a limpeza da igreja e os serviços do sacristão, bem como comprar o fogo-de-artifício da Páscoa.

No final do encontro, a mulher do anfitrião tem como missão entregar o raminho de laranjeira ao novo mordomo, que organizará o almoço do ano seguinte. Como manda a tradição, a mulher do anfitrião percorre as diversas mesas, simulando deixá-lo numa ou noutra pessoa, até o depositar definitivamente nas mãos do eleito.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts