FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 29 Ago 2017

Caminha: Raio cai na Serra D’Arga em plena Romaria

A zona do mosteiro de S. João D’Arga, em Caminha, foi atingida por várias descargas elétricas provocadas por trovoada, ao início da noite, numa altura […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A zona do mosteiro de S. João D’Arga, em Caminha, foi atingida por várias descargas elétricas provocadas por trovoada, ao início da noite, numa altura em que se encontravam no local, milhares de pessoas para participar uma romaria típica que costuma prolongar-se até de manhã.

O presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, que se encontrava no local, disse que “foi um susto muito grande porque a trovoada caiu na zona do mosteiro e toda a gente sentiu choques”. “Estava junto a uma roulotte e houve uma primeira descarga que foi um estrondo enorme. Aquilo até copos foram pelo ar e eu senti choque também. Criou-se algum pânico, algumas pessoas ficaram doridas da descarga e vi algumas mesmo a ser carregadas em cadeirinha, porque ficaram mais combalidas”, contou, referindo que a situação levou à “debandada das pessoas pela serra abaixo”. Incluindo o autarca decidiu abandonar a zona da festa, onde a eletricidade falhou devido à trovoada, deixando aquela zona serrana praticamente às escuras, mantendo-se apenas a luz dos geradores das roulottes e barracas da romaria.

“Antes de vir embora, falei com o Comandante Distrital da GNR de Viana do Castelo que estava lá e que me tranquilizou. Disse que havia duas ou três pessoas que se assustaram e levaram um bocadinho mais de descarga, mas que ia entrar a ambulância”, adiantou Miguel Alves, comentando: “Aquilo foi uma situação completamente anormal. Toda a gente estava de boca aberta”.

Segundo testemunho de um membro dos muitos grupos de romeiros que, durante a tarde, subiram a serra a pé, como manda a tradição, as descargas elétricas foram sentidas por quem se encontrava na zona do mosteiro e na envolvente, abrigado da chuva que caía copiosamente nessa altura. Músicos das bandas que musica que costumam animar o recinto da festa pela madrugada fora, “abandonaram o local a queixar-se que os instrumentos davam choque”.

Aquela romaria leva todos os anos milhares de romeiros à serra d’Arga nos dias 28 e 29 de Agosto. O ponto alto é a noite festiva de 28 para 29, que dura até de manhã. Uma multidão junta-se em redor do santuário para assistir aos cantares ao desafio, dançar ao som das concertinas, e provar as especialidades locais, como o célebre ‘xiripiti’, feito de aguardente com mel, a broa, o chouriço, o cabrito e o vinho verde.

Um dos momentos mais animados e típicos da festa, é o despique das bandas de música nos coretos do adro do santuário e também os cantares ao desafio, ao som de concertinas. Reza a tradição que, após a subida ao monte, os peregrinos e visitantes devem dar três voltas à capela, e deixar depois duas esmolas: uma ao santo…e outra ao diabo, para que nenhum dos dois fique chateado. Entre os romeiros há também muitos devotos, que se deslocam à serra somente para pagarem promessas e assistirem às cerimónias religiosas. Há, no entanto, cada vez mais, quem suba a serra apenas para se divertir pela madrugada fora.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts