FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 20 Nov 2017

Salame do Mar é o projeto que equipa do Politécnico de Viana vai apresentar em competição europeia

Esta semana, dias 21 e 22 de novembro, uma equipa da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESTG-IPVC) […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Esta semana, dias 21 e 22 de novembro, uma equipa da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESTG-IPVC) vai apresentar e defender na final europeia dos prémios Ecotrophelia o projeto do Salame do Mar.Esta é a primeira vez que o IPVC participa neste concurso e, é, igualmente a primeira vez que Portugal se faz representar nesta competição.

Quando em setembro arrecadaram o primeiro lugar da competição em Portugal, as estudantes do curso de Ciência e Tecnologia Alimentar, deixaram para trás mais 10 projetos de diversas universidades e institutos politécnicos.  No pódio ficou uma outra equipa do IPVC que, com um creme de culinária, alcançou a terceira posição.

O projeto Salamar foi defendido pela equipa “As Vianenses” e apresentou ao júri um salame do mar, que segundo Sónia Faria, porta voz da equipa, “é uma alternativa saudável à charcutaria Portuguesa, constituído por peixe capturado nas águas frias do Atlântico e por legumes frescos”. Sónia Faria explica que se trata de um produto saudável e uma forma diferente das pessoas consumirem peixe. “O Salamar pode ser servido de diversas maneiras: fatiado, cubitado, em saladas… trata-se de uma refeição rápida e pronta a consumir. É um produto sem conservantes, com baixas calorias é rico em proteínas e contém a dita gordura saudável, o Omega 3 do peixe, neste caso da cavala. Usamos sobretudo produtos cuja sustentabilidade esteja garantida o que também era um dos requisitos deste concurso”.

O Prémio Ecotrophelia Portugal 2017 acontece em Londres e é coorganizado pela PortugalFoods e pela Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares (FIPA) e pretende premiar produtos alimentares eco-inovadores desenvolvidos por equipas de estudantes universitários que se revelem empreendedoras no setor agroalimentar.

Portugal junta-se aos restantes 15 países que já realizam esta competição de inovação alimentar, reunindo estudantes, professores, investigadores e profissionais do setor.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts