Human League e Los Lobos são as primeiras confirmações para o Vilar de Mouros 2018 | Rádio Geice
FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR

Categoria

14 Dez 2017

Human League e Los Lobos são as primeiras confirmações para o Vilar de Mouros 2018

Pedro Xavier

Acessibilidade

T+

T-

Contraste Contraste
Ouvir
Os Human League e os Los Lobos são os primeiros nomes confirmados na edição 2018 do Festival mais antigo da Península Ibérica, o Vilar de […]

Os Human League e os Los Lobos são os primeiros nomes confirmados na edição 2018 do Festival mais antigo da Península Ibérica, o Vilar de Mouros. A organização destaca o há muito desejado regresso dos britânicos Human League a Portugal, em particular por todos aqueles que viveram a explosão da música popular eletrónica ou synth-pop. Por outro lado, os californianos LOS LOBOS estreiam-se em solo português no EDP Vilar de Mouros. São reconhecidos mundialmente pela versão de “La Bamba” e pelo estrondoso sucesso da Banda Sonora do filme homónimo. Com a promessa de um Festival familiar com muita vontade de crescer, estes são dois nomes que marcam a partida para uma edição memorável do EDP Vilar de Mouros em 2018.
 Em 2018, o Festival irá continuar a ter, paralelamente aos concertos, espetáculos de rua e outros tradicionais minhotos e espaços de ativação de marca, um food court recheado de ofertas e outras novidades que serão anunciadas em breve.
O Festival de Vilar de Mouros realizou-se pela primeira vez em 1965, com características idênticas a outros eventos minhotos de folclore, tendo ganho alguma projeção nacional na quarta edição, em 1968, com o alargamento à música erudita e ao fado. Nesse ano, o fundador do Festival, o médico António Barge, teve a “arte” de conseguir juntar num mesmo evento o regime, através da Banda da Guarda Nacional Republicana, e a oposição, com músicos de intervenção como Zeca Afonso e Adriano Correia de Oliveira. O Festival de 1968 não passou despercebido à PIDE (Polícia Política), que recebeu relatórios sobre as canções proibidas cantadas em coro por Zeca Afonso e pelo público, mas teve pouco impacto no país.
Insatisfeitos, António Barge e a família decidiram fazer uma paragem para prepararem a realização de um grande festival em 1971, ano do nono centenário da entrega de Vilar de Mouros à Sé de Tui. O Festival de 1971 foi considerado o “Woodstock” português, numa alusão ao mítico evento realizado em 1969 nos Estados Unidos, que levou a Vilar de Mouros Elton John, Manfred Mann, os principais grupos pop portugueses, Amália Rodrigues, Duo Ouro Negro e novamente a Banda da GNR. Como prova do estrondoso sucesso desta edição foi-lhe atribuído o ano de nascimento do Festival Vilar de Mouros, ainda hoje recordado e transmitido de gerações em gerações.

Últimas Noticias

Últimos Podcasts

online casino Portugal