FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 22 Jan 2018

Câmara de Caminha fechou 2017 com o menor número de desempregados dos últimos 9 anos

O ano de 2017 fechou com chave de ouro em Caminha, com o número de desempregados mais baixo dos últimos 9 anos. De acordo com […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O ano de 2017 fechou com chave de ouro em Caminha, com o número de desempregados mais baixo dos últimos 9 anos. De acordo com os números avançados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), o concelho de Caminha contabilizou 493 desempregados em dezembro de 2017, o número mais baixo registado desde 2008. Estes valores significam que o número de desempregados diminuiu 18,2% no último ano, com menos 110 inscritos, e que nos últimos 4 anos o número sofreu um decréscimo de 51%. Os desempregados do concelho de Caminha são, agora, menos de metade do que aqueles que foram registados no final de 2013 (menos 514 inscritos), de acordo com o executivo liderado por Miguel Alves.

Para o presidente da Câmara Municipal de Caminha, “a diminuição gradual do número de desempregados no concelho de Caminha é uma notícia boa que se deve ao trabalho conjunto dos cidadãos, das empresas, do Governo e da autarquia”. Refere o socialista que “um dos motores da economia nacional é o turismo e, sendo esta a indústria mais importante do concelho, e tendo em conta as constantes subidas do número de turistas na nossa terra, é natural que haja criação de emprego e que os indicadores confirmem a realidade”. Miguel Alves indica que “a política económica do Governo e o excelente trabalho que o Alto Minho vem fazendo na captação de empresas e investimento público e privado, são fatores a ter em conta nestes números extraordinários”, mas recorda que “ainda há muitos concidadãos que procuram trabalhar e que esperam por uma oportunidade”, referindo que “o nosso trabalho é fomentar essas oportunidades e continuar a fazer o que é preciso para incrementar a dinâmica do concelho, o aparecimento de novas empresas e o reforço de uma marca como a do concelho de Caminha, como um espaço de qualidade de vida, sustentabilidade ambiental e atividade cívica e cultural”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts