FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 07 Mar 2018

Primeiro Ministro visita “Liceu” de Viana e vê projetos de alunos de várias escolas do distrito

O Primeiro Ministro, António Costa, em visita à Escola Secundária Santa Maria Maior, em Viana do Castelo, assistiu a uma mostra de vários projetos das […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

O Primeiro Ministro, António Costa, em visita à Escola Secundária Santa Maria Maior, em Viana do Castelo, assistiu a uma mostra de vários projetos das escolas do distrito realizados pelos respetivos alunos. Esta visita, na qual também estiveram presentes o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues e o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, incluiu a assinatura do Protocolo da Rede Nacional de Clubes Ciência Viva, no contexto do Roteiro da Inovação.

Durante a sessão, António Costa discursou sobre a importância das escolas e desafiou as autarquias a envolverem-se mais nos processos educativos, sublinhando que devem ter um papel mais proativo com as instituições de ensino e potenciá-las. “As autarquias não se têm que limitar a olhar para a conservação do espaço ou para a intervenção sobre o imóvel”, afirmou, referindo que “trabalhando com a escola, [a autarquia] pode fazer muito mais do que isso”. Para tal, usou o exemplo da realização de um estudo desenvolvido pelos alunos das Escola Secundária de Santa Maria Maior sobre a salinidade no estuário do rio Lima.

Ainda sobre este assunto, o Primeiro Ministro destacou também a criação da Rede Escolar de Ciência e de Apoio à Investigação Científica, inaugurada no passado mês de janeiro, que é constituída por 7 unidades laboratoriais instaladas nas escolas sede de agrupamento do concelho de Viana do Castelo. António Costa realçou que esta rede “é uma forma de simultaneamente trazer ciência para a escola, mas ao mesmo tempo da autarquia poder beneficiar do conhecimento produzido na escola sobre uma componente fundamental do seu território, como é o Geoparque”, acrescentando que este projeto é “uma grande lição neste momento em que se está a debater o processo de descentralização”.

Segundo António Costa, este processo de descentralização “não é incompatível nem diminui” a autonomia de uma ou de outra, “antes pelo contrário”. Explicou que as autarquias que tenham relações estreitas com as comunidades escolares podem intervir de forma muito mais célere na melhoria das condições de ensino e ao mesmo tempo usufruir de projetos científicos das escolas que incidem sobre os territórios. Quando isso acontece, “ganhamos todos imenso”, afirmou.

No discurso, foram também abordados temas como a disparidade de tratamento entre alunos de cursos de ensino profissional e de cursos curriculares, um dos temas centrais da política educacional deste 21º Governo Constitucional. Para António Costa, tem que existir uma “valorização do ensino profissional” e que hoje, assim como no futuro, “a escola é diferente”.  Segundo o mesmo, “ninguém pode ser obrigado” a ir para o ensino superior, mas também “ninguém pode ser impedido”, afirmando que alunos de ensino profissional sofrem “obstáculos que não são justos”. Este foco no ensino profissional pretende primeiro mudar a dinâmica escolar, e espera que, no futuro, isso leve “politécnicos e universidades a mudar também”.

A tarde contou ainda com intervenção do Ministro da Educação e foi assinado o protocolo da Rede Nacional de Clubes Ciência Viva, que visa a criar clubes Ciência Viva em várias escolas a nível nacional. A visita terminou com um momento de convívio e degustação, a cargo de alunos dos cursos de hotelaria, uma interpretação do hino da Escola Secundária de Santa Maria Maior por um grupo de alunos e uma curta interpretação dramática.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts