FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR

Categoria

05 Mar 2018

Viana: Grupo Folclórico de Alvarães “plantou” futuro para mais meio século de vida

Pedro Xavier

Acessibilidade

T+

T-

Contraste Contraste
Ouvir
No ano em que assinala meio século de existência, o Grupo Folclórico de Alvarães, em Viana do Castelo, desafiou todos os elementos, no passado sábado, […]

No ano em que assinala meio século de existência, o Grupo Folclórico de Alvarães, em Viana do Castelo, desafiou todos os elementos, no passado sábado, a plantarem árvores, entre castanheiros e macieiras, no Bosque do Alvito da freguesia, na iniciativa “50 anos, 50 elementos, 50 árvores para lançar sementes de vida”. José Manuel Faria, diretor do Grupo, indicou que com a ação quiseram “deixar uma marca dos 50 anos de atividade do grupo”, referindo que “a tragédia que Portugal viveu com os fogos de 2017 também não nos deixou indiferentes”, pelo que decidiram plantar 50 árvores que “simbolizam o futuro e que vão tornar este espaço num local muito rico”.

De galochas nos pés e enxada na mão, os elementos juntaram-se no Bosque do Alvito, localizado junto aos centenários fornos das telheiras, onde no passado se fez extração de barro. A atividade, organizada no âmbito das comemorações das bodas de ouro deste grupo, pretendeu contribuir para a reflorestação de um espaço que enaltece memórias de “árdua labuta, soterrando muitas histórias pesarosas”.

“Nem o mau tempo nos demoveu desta tarefa, afinal estamos a comemorar meio século. Fizemo-lo por todos aqueles para quem este lugar foi o palco da sua vida, porque as memórias do nosso povo não podem ser esquecidas, porque no presente queremos homenagear o passado e dar vida ao futuro. Cada árvore é uma semente de vida”, reforçou o diretor do grupo.

O Grupo Folclórico de Alvarães iniciou, em outubro de 2017, as comemorações dos 50 anos desde a formação, que terminarão em dezembro deste ano. Com mais de 1.500 espetáculos efetuados por mais de 400 elementos, em cerca de duas centenas de países e com mais de 2.500 ensaios, este grupo mantém viva a etnografia, as tradições e os costumes de uma freguesia ligada à arte da cerâmica.

“O nosso grupo Folclórico está ligado a todas as atividades da freguesia, é um impulsionador cultural em Alvarães. Tem consigo a alma das nossas tradições e costumes. Os seus elementos são muito unidos e dinâmicos. Desenvolvem muitas atividades por amor e de forma voluntária. É de louvar, sobretudo, a dedicação dos jovens da freguesia, que estudam fora do concelho e dedicam todo o tempo que têm à etnografia. É um trabalho que tem de ser reconhecido e preservado para as futuras gerações”, realçou o autarca de Alvarães, Fernando Martins.

Em outubro de 1968, por iniciativa do seu primeiro fundador, Adelino Lário, e com o principal propósito da preservação e divulgação da etnografia da freguesia, surgiu o Grupo Folclórico de Danças e Cantares de Alvarães. Passados 50 anos é composto por meia centena de elementos com idades entre os 4 e os 84 anos e realiza atividades contínuas durante todo o ano.

Últimas Noticias

Últimos Podcasts

online casino Portugal