FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
admin 19 Nov 2019

Falta de apoio à Bienal de Cerveira deixa presidente da CIM do Alto Minho “estupefacto”

A decisão da Direção-Geral das Artes (DGArtes) de não financiamento da Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, deixa presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) […]

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

A decisão da Direção-Geral das Artes (DGArtes) de não financiamento da Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, deixa presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, José Maria Costa, “estupefacto”, considerando esta uma decisão “incompreensível”.

 

 

Os resultados definitivos do Programa de Apoio Sustentado 2020-2021 começaram já a ser divulgados pela DGArtes e, na área das Artes Visuais, confirmam os resultados provisórios anunciados no dia 11 de outubro.

A candidatura da bienal de Cerveira é uma das cinco que foram consideradas elegíveis para apoio pelo júri, mas para as quais não há financiamento disponível.

“Esta decisão prejudica a programação da mais antiga bienal da Península Ibérica e de Portugal, mas lesa também uma afirmação cultural descentralizada e fora da capital do país”, afirmou José Maria Costa.

Para José Maria Costa, que é também presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, são “decisões destas que prejudicam a coesão territorial e aprofundam as fraturas culturais” no país.
“O esforço para manter eventos culturais de qualidade fora da capital são muito maiores, pois não beneficiam da cobertura dos órgãos de comunicação social da capital, não beneficiam dos mecenas da capital, nem das elites da capital”, frisou José Maria Costa, afirmando ainda que “decisões como estas de administrações centralizadas empobrecem culturalmente o país”.
O autarca destacou ainda que “a solidariedade dos municípios do Alto Minho e dos agentes económicos da região vão, estou certo, apoiar a Bienal de Cerveira”.
Em 2018, a Bienal decorreu entre 15 de julho e 16 de setembro, e recebeu cerca de cem mil visitantes. A 20.ª edição apresentou mais de 600 obras, de 500 artistas de 35 países em 8.300 metros quadrados, num total de 14 espaços expositivos.
A Bienal Internacional de Arte de Cerveira, a mais antiga da Península Ibérica, realiza-se desde 1978.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts