FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 03 Fev 2020

Atividade empresarial de Viana do Castelo representa volume de negócios de 2,8 mil milhões de euros

A atividade empresarial no concelho de Viana do Castelo representa atualmente um volume de negócios de 2,8 mil milhões de euros (INE, 2017), correspondendo a 48% do total do Alto Minho. No período entre 2013 e 2017, foi registado um crescimento da atividade de 13%. José Maria Costa, Presidente da Câmara Municipal e Luis Nobre, Vereador do Planeamento e Gestão Urbanística, Desenvolvimento Económico, Mobilidade e Coesão Territorial, apresentaram em conferencia de imprensa os números do crescimento.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Para este exponencial crescimento, os clusters de maior relevância, assegurando 80% do valor total, correspondem a Papel, Construção/Imobiliário, Eólico, Comércio, Componentes Automóvel, Metalomecânica/Metalúrgica e Bens de Equipamento, Comércio e Reparação Automóvel e Economia do Mar. Entre 2009 e 2018, os clusters que registaram um maior crescimento foram o de Componentes Automóvel (2,6x), Papel (2,2x) e Economia do Mar (2,3x após 2013).

O investimento empresarial global no período 2009-2018 foi superior a 1.000 milhões de euros, com forte intensidade nos 2 últimos anos (320 M€), tendo mais de 60% do investimento sido registado nos clusters Papel, Componentes Automóvel, Construção/Imobiliário, Eólico, Metalomecânica/Metalúrgica e Bens de Equipamento e Economia do Mar.

Em 2017, foram registados 31 mil postos de trabalho nos estabelecimentos de Viana do Castelo, correspondendo a 40% do emprego do Alto Minho. Este valor representa um crescimento de 18% em comparação com pico mínimo de 2013 (cerca de +4.700 postos de trabalho). Os clusters do Componentes Automóvel, Metalomecânica / Metalúrgica e Bens de Equipamento, Eólico, Turismo e Tecnologias de Informação foram os que mais contribuíram para este acréscimo no emprego.

Se, em 2009, Viana do Castelo exportava bens no valor de 315 milhões de euros, o valor praticamente triplicou para 800 milhões de euros em 2018, correspondendo a 42% do total do Alto Minho. A capital do distrito é, assim, o 16º concelho do país no ranking de exportações, registando uma subida de 12 posições desde 2009. Do grupo de 20 concelhos mais exportadores, é o 2º concelho com maior crescimento de exportações desde 2009 (INE, 2018), ocupando ainda a 5ª posição no ranking de exportações de capitais de distrito (INE, 2018).
Para as exportações, os clusters de maior relevância (63% total) são Papel, Eólico, Componentes Automóvel, sendo que o maior crescimento registado (vs 2009) é nos clusters Construção/Imobiliário (3,7x), Componentes Automóvel (2,6x), Papel (2,4x) e Economia do Mar (4x após 2013). Atualmente, os clusters de maior intensidade exportadora são os Componentes Automóvel (98%), Eólico (61%), Têxtil e Calçado (61%) e Papel (53%).

Viana do Castelo assume-se como a 3ª capital de distrito com maior crescimento na produtividade do trabalho (VAB/RH – milhares de euros), registando uma taxa de crescimento de 39%. Assim, a capital do Alto Minho passou de 17,9, em 2009, para praticamente 24,9 (milhares de euros), em 2017.

A informação resulta de um estudo levado a cabo pela CDE Consultores, tendo por base dados estatísticos publicados.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts