FECHAR
Logo
Pedro Xavier 03 Jul 2020

Presidente do CDS afirma em Viana do Castelo que “braço da geringonça está cada vez maior”

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou hoje, em Viana do Castelo, que "o braço da geringonça" parece estar cada vez maior, aludindo assim à posição do PSD em relação ao Orçamento Suplementar.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

No decorrer de uma visita aos Estaleiros Navais da capital do Alto Minho, Questionado pelos jornalistas acerca da discussão e votação do Orçamento suplementar e da colaboração do PSD para a viabilização do documento, através da abstenção, Francisco Rodrigues dos Santos comentou que “há um género de colaborações patrióticas que mais parecem coligações exóticas”.

“Parece que há um género de colaborações patrióticas que mais parecem coligações exóticas e que o braço da geringonça está cada vez mais largo. Como não sou conselheiro sentimental do bloco central, a única garantia que posso dar é que, da parte do CDS, queremos mais e melhor oposição, não queremos menos nem pior oposição ao governo socialista”, referiu.

Francisco Rodrigues dos Santos referia-se não só à viabilização do Orçamento Suplementar, mas também às posições do PSD nos debates quinzenais no parlamento e também no caso da ida do ex-ministro para o Banco de Portugal.

A Assembleia da República aprovou hoje, em votação final global, a proposta de Orçamento Suplementar do Governo, que se destina a responder às consequências económicas e sociais provocadas pela pandemia da covid-19.

A proposta foi aprovada apenas com os votos favoráveis do PS, a abstenção do PSD, BE e PAN e os votos contra do PCP, CDS-PP, PEV, Iniciativa Liberal e Chega.

A deputada não inscrita Cristina Rodrigues (ex-PAN) absteve-se e Joacine Katar Moreira (ex-Livre) estava ausente no momento da votação.

Fotos: Rádio Geice FM

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts