FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 31 Ago 2020

Drive-In Vilar de Mouros animou com sucesso recinto do Festival mais antigo da Península Ibérica

O Drive-In Vilar de Mouros animou o recinto que tradicionalmente acolhe o Festival mais antigo da Península Ibérica, durante quatro dias, trazendo música, cinema e humor a milhares de pessoas, mas salvaguardando as normas de segurança e sanitárias e as recomendações da Direção Geral de Saúde.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Entre a programação, destaque para o concerto de Aurea e a participação de grupos do concelho, casos da Banda de Lanhelas, Academia de Música Fernandes Fão, Associação Krisálida e Grupo Motard de Vilar de Mouros. Também Augusto Canário & Amigos participaram nesta iniciativa do município caminhense.  

O concerto da cantora Aurea, na noite de sábado, encheu o recinto e fez vibrar o público. A artista confessou que este foi o seu primeiro concerto em formato drive-in, e disse que não sabia ao certo como se iria desenrolar. A experiência resultou em pleno e a interação do público aconteceu como se de um concerto “normal” se tratasse, mas desta vez com as buzinas e as luzes dos carros a terem o pepel principal, embora as vozes também se ouvissem no recinto.

Aurea diria no final que este concerto vai ficar na sua memória e que não esquecerá Vilar de Mouros. A artista circulou a pé pelo recinto, entre as viaturas, que respeitaram entre si um espaço considerável e no final o público exigiu a Aurea regressou ao placo, cantando várias músicas.  

O Drive-In Vilar de Mouros, permitiu também dar destaque a entidades do concelho, já que o evento contou com a participação da Banda de Lanhelas e a Academia de Música Fernandes Fão no domingo, destacando-se ambas na programação do dia.  

A Krisálida, por seu lado, participou nos vários dias, enquanto ao Grupo Motard de Vilar de Mouros foi dedicado o dia de sexta-feira. 

O Drive-In teve como propósito “manter a ligação à música e cultura, valorizando o património imaterial da freguesia”, num ano em que a pandemia não permitiu realizar o EDP Vilar de Mouros, conforme estava programado. 

Tendo como palco principal o recinto do Festival mais antigo da Península Ibérica, o projeto, de acesso gratuito, contou com atuações musicais, exibição de filmes, momentos de stand-up comedy e animação de rua. 

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts