FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 03 Ago 2020

Viana do Castelo prepara “Agenda Inovação” para a próxima década

A Agenda para a Inovação de Viana do Castelo para a próxima década estará fechada em fevereiro de 2021, para ser "validada" pela Câmara e Assembleia Municipal em abril, disse hoje o presidente da autarquia vianense.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

José Maria Costa, em conferência de imprensa para anunciar o início da elaboração da Agenda para a Inovação 2030, afirmou que o documento “vai servir de suporte à apresentação de candidaturas e projetos quer ao novo quadro comunitário de apoio quer ao Fundo de Transição”.

“Queremos tirar o máximo partido das oportunidades que temos pela frente. Estamos a viver tempos difíceis, mas desafiantes. Foi colocado ao país um conjunto de oportunidades financeiras para podermos reorientar a economia e sociedade para sermos mais competitivos, dinâmicos e coesos e para ganharmos a batalha da inovação. Esta Agenda para a Inovação acontece no tempo certo. Num tempo de debate público”, disse.

José Maria Costa explicou que o “debate institucional” para a elaboração da agenda começa na terça-feira, com o primeiro de seis fóruns temáticos, com a participação do professor António Cunha, antigo reitor da Universidade do Minho e, o segundo, no dia 18 de setembro, que terá como orador o eurodeputado José Manuel Fernandes. Os outros fóruns decorrerão até janeiro de 2021.

Já o processo de auscultação da população arranca em setembro com “um inquérito, que será enviado a todas as habitações, convidando os vianenses a darem a sua opinião e remetê-la ao grupo de trabalho” que vai elaborar a estratégia do concelho para os próximos 10 anos e, já este mês, com o lançamento de uma “plataforma ‘online’ com informação sobre a agenda e com um inquérito que “pode já receber contributos” da população.

Já o debate político começará em abril, com a apresentação do documento ao executivo municipal, e, posteriormente, a sua apreciação na Assembleia Municipal.

“É uma agenda que tem de ser muito participativa. Queremos um processo aberto a todos, que terá um mecanismo de democracia participativa para construirmos juntos, uma visão conjunta, mobilizando todos os vianenses para os novos desafios que temos pela frente”, sublinhou, apontando “a visão das escolas, das empresas e das instituições do concelho”.

O plano assentará ainda “numa dinâmica de competição e cooperação, simultaneamente.

“O Alto Minho está a competir com a Galiza, mas estamos também a cooperar com a Galiza. É essa a lógica que iremos privilegiar na Agenda para a Inovação”, referiu.

O processo de elaboração do documento incluirá ainda a realização de “estudo de opinião sobre avaliação e expectativas dos vianenses, reuniões de brainstorming e focus group após recolha dos inquéritos, e a constituição, em “setembro/outubro”, de um Conselho de Desenvolvimento Estratégico de Viana do Castelo para “acompanhar” a elaboração do documento.

“Estamos confrontados com um conjunto de instrumentos de orientação estratégica e financeira muito importante para a nossa afirmação. Que saibamos aproveitar bem as oportunidades que temos pela frente, que temos de trabalhar e consensualizar para definir as bases do futuro do Viana do Castelo”, reforçou.

Segundo José Maria Costa a Agenda para a Inovação 2030 partiu de “um diagnóstico sobre os avanços da última década, assente nos avanços dos últimos dez anos” e pretende “dar coerência e interligar grandes investimentos que estão assegurados, descobrindo e projetando outros investimentos, no quadro da inovação e do desenvolvimento sustentado”.

Foto: Rádio Geice/DR

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts