FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 03 Set 2020

Grupo de vizinhos da Serra d’Arga promove Caminhada contra as minas e mineração no território

Por iniciativa de um grupo de vizinhos da Serra d'Arga realiza-se, no próximo sábado, a partir do Mosteiro, uma caminhada na serra em sinal de protesto contra as minas e a mineração nesse território.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Será efetuado um percurso descendente de cerca de 8 km com saída do Mosteiro de Arga de São João, junto à ribeira que aí nasce até o lugar de Santa Aginha, atravessando Arga de São João até à Igreja do lugar de Felgueiras, onde será feita uma vista panorâmica sobre a área do concurso de prospecção de Arga de são João – Dem.

Logo após, pelos caminhos florestais, o destino é o Centro Cultural de Dem, onde serão servidos refrescos e onde, se irá realizar um convívio-debate, cumprindo todas as regras de segurança impostas pela DGS.

A Serra d’Arga abrange uma área de 10 mil hectares, nos concelhos de Caminha, Vila Nova da Cerveira, Paredes de Coura, Viana do Castelo e Ponte de Lima, dos quais 4.280 estão classificados como Sítio de Importância Comunitária.

Dem trata-se de uma freguesia claramente oposta às minas, que já albergou iniciativas contra a mega-mineração e ameaça exctractivista.

“Porque falamos em ameaça extractivista? Pois não consiste somente num projecto concreto de uma ou várias minas para extrair um minério em específico, tendo a propaganda do Estado levado a fazer entender que o Lítio seria vital para a sociedade. Esta ideologia, o exctractivismo, não se resume às minas e crateras que são produzidas por maquinaria pesada e explosões, nem ao lítio e as suas viaturas e dispositivos eléctricos, mas concentra-se na convicção de que, para criar mais valia para uma sociedade ou um determinado grupo de pessoas – uma economia – é imperativo extrair os elementos que compõe o seu próprio meio-ambiente”, informa a organização da iniciativa em nota enviada à Rádio Geice.

A organização entende que “Urge sim, o repovoamento das zonas rurais e a criação de actividade agroflorestal e agrícola sustentável e em comunhão com a Natureza. Urge o fim do êxodo que nos foi imposto, para que não venham mais reclamar as nossas origens como sua propriedade, e tudo destruírem, definitivamente, para não mais voltarmos. Urge resistir a estas ameaças, defender o que é nosso e da natureza, para jamais ser-nos arrebatado”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts