FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 26 Jul 2021

Coligação: Presidente do PDR desmente Eduardo Teixeira e Hugo Fernandes Meira

Bruno Fialho, presidente do PDR, "desmente" Eduardo Teixeira e Hugo Fernandes Meira, respetivamente, presidentes das comissões politicas do PSD e CDS-PP, a propósito de um comunicado conjunto, que garantia "nunca ter existido mais nenhum partido na coligação “É agora, Viana!” para além de PSD e CDS-PP". O PDR afirma que "tem pugnado pela transparência na vida política e jamais irá pactuar com mentiras". O partido vai mais longe e afirma que "Eduardo Teixeira, e Hugo Fernandes Meira, mostraram ser políticos desnorteados, fracos e sem problemas em recorrerem à mentira".

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em comunicado enviado à Rádio Geice, o PDR esclarece:

O Partido Democrático Republicano – PDR tomou conhecimento de uma entrevista/comunicado dada por Eduardo Teixeira (PSD) e Hugo Fernandes Meira (CDS) à rádio Geice onde ambos, em resposta a um comunicado do MPT, reafirmam que “nunca existiu mais nenhum partido nesta coligação para além de PSD e CDS-PP”. Tal afirmação é falsa e caluniosa, tanto para o MPT, partido com quem temos excelentes relações, para o PDR e para os próprios Vianenses, que têm de ser avisados que não podem confiar em quem não é sério.

“O PDR decidiu abandonar a coligação “É agora, Viana!”, já depois de termos tido reuniões para definir a nossa presença na estrutura da futura lista a apresentar às eleições autárquicas. Existem provas desses contactos e estivemos presentes em reuniões para debater estratégias da coligação, pelo que, estas declarações dos responsáveis do PSD e do CDS são demonstrativas que a nossa posição de abandonar a coligação foi a melhor que poderíamos ter tomado, tal como abandonámos outra em Viana do Castelo, porque apenas nos coligamos com quem é de confiança”, afirma Bruno Fialho, presidente do PDR.

“Infelizmente a maioria dos políticos julgam que são todos iguais e “vendem-se por 30 moedas de prata”. O nosso abandono desta coligação, assim como já aconteceu noutros locais do país, vem reforçar a imagem que o PDR quer manter desde que assumi a presidência, ou seja, total transparência, pugnar pela verdade e, acima de tudo, defender os interesses dos portugueses”, declara Bruno Fialho.

“O que os responsáveis do PSD e CDS de Viana do Castelo fizeram é demonstrativo que o PDR e os restantes partidos que abandonaram esta coligação, nomeadamente o MPT e o PPM, cedo perceberam que não se pode confiar em pessoas que colocam os interesses pessoais à frente dos interesses da população de Viana do Castelo”, denuncia Bruno Fialho.

Infelizmente para quem julgou que poderia brincar com os Vianenses, para além de Roberto Barbosa, o nosso coordenador autárquico em Viana do Castelo, a quem eu agradeço as horas que perdeu em reuniões com esta coligação, eu mesmo, que também me considero um Vianense, pois é a terra onde tenho os melhores amigos de infância, o padrinho do meu primogénito e é em Carreço que passo férias desde que nasci, não permitimos que tal acontecesse”, conclui.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts