FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 02 Jul 2021

Tribunal rejeita pedido de Britney Spears para remover pai de tutoria

Um tribunal de Los Angeles rejeitou um pedido da artista Britney Spears para que o pai fosse removido da tutoria do seu património, segundo a imprensa local. De acordo com a publicação Variety, a recusa do tribunal diz respeito a um pedido feito no ano passado – e não surge em reação às declarações da artista feitas há dias.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Na semana passada, Spears pediu o fim da tutoria legal definida em 2008, quando o pai solicitou em tribunal autoridade para gerir a vida da filha devido a receios em torno da sua saúde mental.

O pedido foi feito durante uma audiência em Los Angeles (Califórnia), nos Estados Unidos da América, 13 anos depois de ser instituída a tutoria, que Spears considerou “abusiva”.

O pai de Britney Spears, James Spears, controlou a vida pessoal da filha durante a maior parte da tutoria, supervisionando agora as suas finanças e negócios. Uma profissional nomeada pelo tribunal, de nome Jodi Montgomery, passou a deter o poder sobre as decisões pessoais de Spears desde que o pai abdicou desse papel, em 2019.

Montgomery, cuja nomeação inicial foi apoiada pela artista, está a exercer as funções de forma temporária. Era esperado que a nomeação fosse tornada definitiva, mas James Spears interpôs uma ação a pedir que o tribunal averiguasse as alegações da cantora de abusos por parte da tutoria exercida sobre si.

Segundo o Hollywood Reporter, a próxima sessão de tribunal vai acontecer no dia 14 de julho.

Em fevereiro, a vida de Britney Spears voltou à esfera pública com o lançamento do documentário “Framing Britney Spears”, focado na trajetória da cantora norte-americana, incluindo os momentos de maior popularidade e os acontecimentos que levaram a que a sua vida passasse a ser controlada pelo pai.

Aos 39 anos, Britney Spears “não pode dispor livremente do seu dinheiro ou assinar nenhum documento sem autorização prévia, o que a levou a uma árdua batalha judicial contra o pai”. O trabalho do The New York Times “explora a base legal da tutela, assim como os requisitos que devem cumprir tanto Spears como os tutores designados pelo tribunal”.

Britney Spears estreou-se oficialmente em 1999 quando editou o álbum “…Baby One More Time”, que vendeu mais de cem milhões de exemplares em todo o mundo.

Na sequência do documentário “Framing Britney Spears”, tornaram-se virais movimentos para pedir a “libertação” da artista do controlo do pai (“#FreeBritney”) e para levar a que quem a criticou e julgou, na altura, viesse agora pedir desculpa.

Sendo uma das artistas que mais venderam no virar do século, a norte-americana é a intérprete de temas como “Oops!… I Did It Again”, “Toxic” e “Womanizer”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts